Busca avançada
Ano de início
Entree

Unificando determinantes ambientais e espaciais da estrutura de redes tróficas em escalas espaciais

Processo: 18/12225-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Programa BIOTA - Regular
Vigência: 01 de junho de 2019 - 31 de maio de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Teórica
Pesquisador responsável:Gustavo Quevedo Romero
Beneficiário:Gustavo Quevedo Romero
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Efeitos do clima  Redes ecológicas 

Resumo

Espécies afetam umas às outras de formas complexas, e redes ecológicas (e.g., redes tróficas) descrevem como as interações conectam espécies. Embora a teoria de redes ecológicas tenha permitido previsões de como as perturbações modulam interações entre as espécies, ela permanece limitada em vários aspectos-chave. Primeiro, redes ecológicas são frequentemente consideradas apenas em pequenas escalas espaciais, embora a teoria de metacomunidades tenha demonstrado que eventos de longa distância (como dispersão) ou padrões de larga escala (como clima em gradientes biogeográficos) podem ter grandes impactos na dinâmica ecológica local. Segundo, há evidências de que as características das espécies fornecem a base mecanicista para as interações entre as espécies, mas a maioria das características ainda não foi incorporada às análises de rede ecológica. Aqui nós propomos integrar análises de redes tróficas, metacomunidade e atributos funcionais para determinar: (1) como e por que a estrutura da teia alimentar muda no espaço, (2) quais atributos funcionais das espécies são mais importantes na determinação de suas interações tróficas, e (3) se as características das espécies determinam mudanças na estrutura da teia alimentar em relação aos gradientes ambientais. Abordaremos essas questões usando redes tróficas aquáticas em bromélias-tanque em toda a extensão desse sistema biológico, do México à Argentina, incluindo ilhas do Caribe. A base de dados atual é composta por 1.762 bromélias-tanque e sua macrofauna associada em 22 locais distribuídos em 10 países. Esse projeto tem como propósito combinar espécies, bem como seus atributos e dados ambientais com novas matrizes de interação específicas para gerar teias alimentares potenciais. Prevemos que a abordagem integrada e em multiescala deste projeto será crucial, fornecendo novas perspectivas sobre a ecologia de sistemas complexos. (AU)