Busca avançada
Ano de início
Entree

O impacto da intervenção precoce em crianças com Síndrome de Moebius

Processo: 18/15460-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2019 - 31 de julho de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fonoaudiologia
Pesquisador responsável:Mirian Hideko Nagae Espinosa
Beneficiário:Mirian Hideko Nagae Espinosa
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Pesq. associados:Maria Cecília Marconi Pinheiro Lima ; Vera Lúcia Gil da Silva Lopes
Assunto(s):Paralisia facial  Doenças  Face  Músculos  Eletromiografia  Terapia miofuncional 

Resumo

A Síndrome de Möebius é um distúrbio congênito que afeta o nervo facial e abducente nos primeiros meses de gestação. Apesar de considerada doença rara, apresenta algumas peculiaridades em países subdesenvolvidos, dentre eles o Brasil, pois sua etiologia pode ser ocasionada pelo uso de medicamentos abortivos como o Cytotec. O qual apesar de proibido desde 1993 é vastamente encontrado no mercado clandestino e utilizado diante da gravidez indesejada. Na Síndrome de Möebius desde o nascimento a face é inexpressiva e o bebê não consegue fechar os olhos. A intensidade das seqüelas, entretanto é variável provavelmente devido ao momento e intensidade de medicamentos utilizados pela mãe. Exames que mensurem o nível das alterações, no entanto como a eletroneuromiografia são invasivos e dolorosos e na ressonância magnética são indicados a serem realizados somente após os 3 anos de idade devido a maturação das áreas específicas no sistema nervoso central. Após essa idade, entretanto, caso os músculos faciais não sejam estimulados, a atrofia dos mesmos já se consolidou. Uma vez que na face apesar da atrofia ser mais tardia 12 a 18 meses em relação ao restante do corpo que é de 3 meses, já é tarde. Com isso o estudo tem por objetivo estabelecer os benefícios de uma intervenção precoce na Síndrome de Möebius. (AU)