Busca avançada
Ano de início
Entree

Evolução dos serviços ecossistêmicos (produção de água e biomassa) em cronossequência de regeneração florestal na Mata Atlântica, na Serra do Mar e da Mantiqueira

Processo: 18/16791-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa em Políticas Públicas
Vigência: 01 de fevereiro de 2019 - 31 de janeiro de 2021
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Convênio/Acordo: Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF)
Pesquisador responsável:Laura de Simone Borma
Beneficiário:Laura de Simone Borma
Instituição-sede: Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (Brasil). São José dos Campos , SP, Brasil
Instituição parceira: Secretaria do Meio Ambiente (São Paulo - Estado). Fundação para Conservação e Produção Florestal
Pesq. associados: Fernanda de Vasconcellos Barros ; Gustavo Felipe Balué Arcoverde ; Manoel Ferreira Cardoso ; Maria Cristina Forti ; Mauro Brum Monteiro Junior ; Nathan David Vogt
Assunto(s):Serviços ambientais  Restauração florestal  Transpiração  Carbono  Crescimento 

Resumo

Diante do importante papel das florestas no fornecimento de serviços de regulação do clima e da água, várias ações de conservação e recuperação de florestas tem sido realizadas no Brasil. Entre elas, destacamos o Projeto Conexão Mata Atlântica, uma iniciativa do Global Environmental Facility (GEF) e do Ministério da Ciência e Tecnologia e Inovação (MCTI), em parceria com a Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo, ao qual esta proposta está vinculada. Embora o valor ambiental das florestas preservadas seja muito alto, ainda há incertezas consideráveis acerca dos efeitos sobre os recursos hídricos decorrentes de uma recuperação florestal. Enquanto a maioria dos estudos sugere que altas taxas de evapotranspiração levariam a uma diminuição nas reservas de água da superfície e subsuperfície, estudos recentes indicam que uma cobertura florestal adequada poderia favorecer o armazenamento de água no solo, necessária para suprir as demandas metabólicas e atmosféricas, e a recarga de águas subterrâneas. Considerando este assunto como uma importante questão científica e de gestão ambiental, esta proposta visa responder às seguintes perguntas: qual é a taxa média de uso da água para quantidade de biomassa produzida em espécies nativas da Mata Atlântica e espécies exóticas pinus e eucalipto? qual é o potencial de que áreas reflorestadas armazenem, e eventualmente excedam, a quantidade de água necessária para a sua manutenção e desenvolvimento, potencialmente contribuindo para recarga de aquíferos? Como essas propriedades variam ao longo de diferentes estágios de regeneração florestal? As respostas a essas e outras questões serão obtidas por meio de medições in situ das variáveis do balanço hídrico e da biomassa acima do solo ao longo de sequências cronológicas da recuperação da Mata Atlântica.Complementados com análises de modelos computacionais das interações solo-planta-atmosfera,os resultados aqui obtidos serão traduzidos em produtos que permitam aos tomadores de decisão estimar quantidades de água requeridas para os diversos projetos de reflorestamento bem como considerar o potencial de acumulo de água na bacia resultante desses projetos, que poderia ser traduzido em termos monetários para aplicação em ações de pagamento por serviços ambientais. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Pós-doutorado em meio ambiente com bolsa da FAPESP