Busca avançada
Ano de início
Entree

Estimulação transcutânea do nervo tibial posterior em crianças e adolescentes com constipação funcional: protocolo para um estudo de intervenção

Processo: 19/22172-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de dezembro de 2019 - 31 de julho de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:Pedro Luiz Toledo de Arruda Lourencao
Beneficiário:Pedro Luiz Toledo de Arruda Lourencao
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Vinculado à bolsa:19/08361-9 - Avaliação da aplicabilidade e dos resultados clínicos da estimulação elétrica transcutânea do nervo tibial posterior no tratamento de crianças com constipação intestinal crônica, BP.IC
Assunto(s):Crianças  Cirurgia pediátrica  Constipação intestinal  Terapia por estimulação elétrica 

Resumo

Introdução: A grande maioria das crianças com constipação funcional responde ao tratamento médico padrão. No entanto, um subgrupo de pacientes pode apresentar uma resposta insatisfatória, com pouca melhora dos sintomas. A estimulação transcutânea do nervo tibial posterior (PTNS) envolve a estimulação elétrica do nervo tibial posterior ao nível do tornozelo, por via transcutânea através de eletrodos fixados à pele subjacente. A estimulação do nervo tibial pode modular a função urinária e evacuatória através da estimulação dos nervos sacrais. Assim, a PTNS transcutânea pode ser considerada um método muito promissor, não invasivo e seguro para ser utilizado na faixa etária pediátrica. No entanto, ainda não existe nenhum estudo publicado que tenha investigado seu uso em crianças no tratamento da constipação intestinal. Trata-se de um estudo de centro único, prospectivo, longitudinal e de intervenção, desenvolvido para avaliar a aplicabilidade e os resultados clínicos do PTNS transcutânea em crianças com constipação intestinal funcional. As crianças serão submetidas a sessões diárias de PTNS transcutânea por um período de 4 semanas. Todas as crianças também serão convidadas a participar de entrevistas semiestruturadas, uma em cada um dos 3 momentos de avaliação: uma semana antes do início da intervenção; imediatamente após as 4 semanas de intervenção; e 4 semanas após o final do período de intervenção. Nessas entrevistas, serão avaliados os aspectos relacionados ao hábito intestinal e à qualidade de vida. Este projeto tem como objetivo avaliar os resultados clínicos da PTNS transcutânea em crianças com constipação intestinal funcional e a aplicabilidade desse tipo de tratamento. Conclusões: Este protocolo de estudo tem como objetivo demonstrar a eficácia desse método promissor para aumentar o número de evacuações e a consistência das fezes, reduzir o número de episódios de incontinência fecal retentiva e melhorar indiretamente a qualidade de vida global de crianças com constipação intestinal. (AU)