Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de um kit de PCR com hot-start, 100% nacional para acelerar a pesquisa científica

Processo: 19/09113-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de fevereiro de 2020 - 31 de outubro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Bruna Tatsue Grichoswski Nakagawa
Beneficiário:Bruna Tatsue Grichoswski Nakagawa
Empresa:Ecra Biotec Serviços e Pesquisas Ltda
CNAE: Serviços combinados de escritório e apoio administrativo
Município: Santo André
Pesq. associados:Fabio Trigo Raya ; Robson Tramontina
Assunto(s):Reação em cadeia por polimerase (PCR)  Desenvolvimento de produtos  Pesquisa científica  DNA polimerase dirigida por DNA 

Resumo

A pesquisa ciêntífica no âmbito dos diagósticos moleculares desenvolvida nos laboratórios do Ministérios da Saúde (Instituto Evandro Chagas, Lacen, Fundação Oswaldo Cruz entre outros), laboratórios privados, bem como em todos os centros de pesquisa e universidades, é intrínsicamente dependente da disponibilidade de enzimas de DNA polimerase. A DNA polimerase, permite a replicação in vitro da molécula de DNA e depende de condições adequadas de atuação. A temperatura é um fator que influencia a atividade desta enzima, sendo que esta consegue polimerisar a elevadas temperaturas, mas também a temperaturas mais baixas (abaixo de 50 ºC). Esse motivo potenciou o desenvolvimento de DNA polimerases hot start, cujo sítio ativo fica inibido à temperatura ambiente por ação de moléculas adicionais como anticorpos, aptâmeros, nano partículas, entre outros. Quando submetidas à temperatura ótima de PCR, o elemento inibitório é removido e a sua atuação procede naturalmente. Quando esta enzima é importada o seu preço é altamente inflacionado e os tempos de entrega demorados, o que limita consequentemente, o desenvolvimento de novos produtos e o avanço da pesquisa. Isto é extremamente grave no contexto brasileiro quando nos referimos ao desenvolvimento de kits para detecção precoce de doenças como zika ou dengue. O projeto apresentado pela empresa ECRA BIOTEC SERVIÇOS E PESQUISAS LTDA (de agora em diante designada ECRABIOTEC), se propõe a desenvolver um kit de DNA polimerase high fidelity com hot start, fundamental para realização de ensaios de detecção das doenças anteriormente mencionadas ou em pesquisa científica nas mais variadas áreas. O produto é 100% nacional, o que irá ter uma influência positiva no preço final, bem como na diminuição do tempo de entrega podendo assim acelerar a pesquisa nacional. O projeto aqui exposto apresenta alguns resultados preliminares obtidos pelos esforços conjuntos dos colaboradores participantes neste projeto. A equipe associada desenvolveu até ao momento da submissão ao PIPE fase 1, uma enzima DNA polimerase high fidelity, que foi distribuída a 10 pesquisadores de universidades públicas e centros de pesquisa, que relataram resultados positivos após a utilização da enzima. O interesse demonstrado pelos pesquisadores levou a equipe a se propor a testar a viabilidade técnica de desenvolver uma versão dessa enzima, com hot start. Irão ser testadas duas alternativas de hot start, sendo que uma usa aptâmeros (oligonucleotidos que se unem à DNA polimerase inibindo-a de forma reversível) e a outra que usa binding proteins, que também inibem a atividade da DNA polimerase de forma reversível. Pretende-se posteriormente, levar para a fase 2 do PIPE, aquela que apresentar melhor viabilidade técnico-econômica. Os esforços da equipe atraíram a atenção de empresários do sector, que contam com mais de 3 anos de expertise em representação comercial técnica de produtos para a indústria farmacêutica como drug delivery systems e de cadeia fria como data loggers. A parceria levou à criação da ECRABIOTEC. A submissão deste projeto PIPE, tem como objetivo alavancar uma nova empresa na área da biotecnologia, potenciando o rápido desenvolvimento dos kits de DNA polimerase e acelerando a pesquisa nacional. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Unicamp estimula produção local de insumos para o principal teste de COVID-19  
Matéria(s) publicada(s) no Pesquisa para Inovação FAPESP sobre o auxílio:
Parceria entre empresas e universidade acelera produção local de insumos para teste de COVID-19 
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (6 total):
Mais itensMenos itens
Empresas e universidade aceleram a produção local de insumos para teste de COVID-19 
Unicamp está produzindo insumos para a realização de testes moleculares para Covid-19 
Unicamp estimula produção local de insumos para o principal teste de Covid-19 
Unicamp estimula produção de insumos para teste de covid-19 
Unicamp estimula produção local de insumos para o principal teste de COVID 
Unicamp estimula produção local de insumos para o principal teste de coronavírus