Busca avançada
Ano de início
Entree

Intervenções não farmacológicas no contexto de doenças crônicas não transmissíveis: o impacto do exercício físico moderado no diabetes mellitus e na doença renal crônica

Processo: 19/18738-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2020 - 31 de maio de 2022
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Enfermagem - Enfermagem Médico-cirúrgica
Pesquisador responsável:Maria de Fatima Fernandes Vattimo
Beneficiário:Maria de Fatima Fernandes Vattimo
Instituição-sede: Escola de Enfermagem (EE). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Diabetes mellitus  Insuficiência renal crônica  Lesão renal aguda 

Resumo

Doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) representam a maior causa de mortes prematuras e de morbidades, com impacto nos custos com saúde pública, na qualidade de vida, na produtividade individual e coletiva e no desenvolvimento das populações. A etiologia das DCNTs é complexa e envolve fatores de risco não modificáveis (herança genética, sexo e idade) e modificáveis (tabagismo, inatividade física, alimentação não saudável e consumo excessivo de bebidas alcoólicas). Esses últimos, por estarem relacionados a modos e estilos de vida, são passíveis de modificação e a intervenção nesses fatores compõe as metas da Organização Mundial de Saúde para o ano 2025, visando a redução da mortalidade das DCNTs em 25%. A doença renal crônica (DRC) e a lesão renal aguda (LRA) são complicações das DCNTs, principalmente quando as doenças cardiovasculares, como a hipertensão, e o Diabetes Mellitus estão presentes. Por outro lado, situações de insulto por LRA nefrotóxica agudizam a DRC e a nefropatia diabética e são catalisadoras da progressão da doença renal para estágios de maior morbidade, dependentes de terapia de substituição renal. A nefropatia induzida por contraste (NIC) corresponde a 10% das LRAs adquiridas em ambiente hospitalar e é descrita como a terceira causa de LRA, sendo considerada atualmente uma condição epidêmica. A prática de treinamento físico regular se configura como uma intervenção não farmacológica benéfica que pode retardar a progressão da DRC e da ND. Embora amplamente estudada e sendo uma das metas da OMS para a redução da mortalidade prematura por DCNT, a eficiência do treinamento físico aeróbico na progressão da DRC e da ND não está descrita. Esse estudo visa avaliar o possível efeito renoprotetor do treinamento aeróbico de intensidade moderada sobre a função renal de ratos DM e DRC submetidos ao tratamento com CI. A hipótese é que a atividade física de intensidade moderada apresenta efeito renoprotetor na agudização da DRC e da nefropatia diabética possivelmente mediada da restauração do equilíbrio redox. (AU)