Busca avançada
Ano de início
Entree

Biologia alimentar e reprodutiva da Piratininga do sul, Brycon cf. opalinus (Cuvier, 1819) e a diversidade de peixes no Núcleo Santa Virgínia, Parque Estadual da Serra do Mar

Processo: 03/09052-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2004 - 30 de abril de 2005
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Zoologia Aplicada
Pesquisador responsável:Francisco Manoel de Souza Braga
Beneficiário:Francisco Manoel de Souza Braga
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Assunto(s):Alimentação  Diversidade  Peixes  Reprodução 

Resumo

A área de estudo abrange três rios (Paraibuna, Ipiranga e Grande) da bacia do Paraibuna no Núcleo Santa Virgínia/Natividade da Serra (Parque Estadual da Serra do Mar). Apesar das atividades de pesca e do turismo estes rios estão relativamente preservados com uma ictiofauna pouco conhecida. Uma das espécies endêmicas da área é a pirapitinga do sul, Brycon opalinus, gênero que se mostra suscetível a mudanças ambientais devido à ampla relação com a mata ribeirinha que disponibiliza frutos, sementes e insetos. Além disto, existe a dependência de alta qualidade da água e acesso às várzeas para a migração sazonal de reprodução. A dispersão de sementes pode ser muito freqüente para estes peixes, tendo então importância para a dinâmica das populações vegetais ribeirinhas. A determinação dos locais de reprodução, fecundidade e modo reprodutivo são muito importantes para o manejo da área e a conservação dessas espécies. A bacia do Paraibuna origina o rio Paraíba do Sul (confluência do rio Paraibuna e Paraitinga). Atualmente, este rio está muito alterado e suas populações íctiicas em declino. A piabanha, Brycon insignis, peixe antes comum em suas águas, hoje está praticamente extinta no Estado de São Paulo e muito rara em alguns afluentes no Estado do Rio de Janeiro. O objetivo é abordar a reprodução e a dieta alimentar da pirapitinga do sul (Brycon opalinus), assim como a diversidade de peixes. A reprodução e a. dieta alimentar serão caracterizadas sazonalmente e localmente, sendo possível determinar as áreas de maior intensidade reprodutiva, a fecundidade e o modo reprodutivo, assim como, determinar os itens alimentares e as relações tróficas com os ambientes aquáticos e terrestres. Na área do estudo serão determinados também os possíveis impactos causados pelas atividades turísticas nas populações de peixes, enfocando principalmente a pirapitinga do sul. (AU)