Busca avançada
Ano de início
Entree

Implante de fibroblastos transduzidos com cDNA da endostatina murina para o tratamento antiangiogênico de carcinoma renal

Processo: 03/11779-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2004 - 31 de março de 2007
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Maria Helena Bellini Marumo
Beneficiário:Maria Helena Bellini Marumo
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Neovascularização patológica  Neoplasias renais  Carcinoma de células renais  Inibidores da angiogênese  Endostatinas  Interleucina-2 

Resumo

O processo de angiogênese, ou seja o brotamento de novos capilares a partir de vasos sanguíneos pré-existentes, é importante em processos fisiológicos como o desenvolvimento,embrionário, cicatrização de feridas, e regeneração de órgãos e tecidos e também em situações patológicas como isquemias cardíacas, doenças da pele e retinopatias. Por outro lado, a angiogênese representa um papel fundamental na progressão de metástase tumoral e existe, atualmente, um interesse crescente na pesquisa e utilização de agentes antiangiogênicos para inibição desses tumores. A terapia antiangiogênica apresenta várias características que a torna uma opção atrativa para o tratamento de tumores sólidos. Agentes antiangiogênicos não são citotóxicos e podem ser efetivos sobre diferentes tipos tumorais, por atuarem em células endoteliais geneticamente estáveis, que dão suporte à sobrevivência de 50-100 células tumorais desencadeando um efeito amplificador. A endostatina, um fragmento carboxi-terminal do colágeno XVIII, é um potente agente inibidor da angiogênese. Sabe-se ainda que a endostatina recombinante humana e murina, obtidas em procariotos e eucariotos, inibem especificamente a proliferação e migração de células endoteliais e apresentam um efeito supressor do crescimento de tumores primários e metastáticos em diferentes modelos animais, sem a indução de resistência ou outros efeitos colaterais. Neste projeto, pretende-se avaliar a eficácia da terapia anti-angiogênica com endostatina e do tratamento conjugado da endostatina com interleucina-2 em carcinoma renal. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MICHELLY F. PICCOLI; MARCIA FIGUEIRA; CASSIO ANDREONI; JULIO T. MARUMO; NESTOR SCHOR; MARIA H. BELLINI. Lack of association between matrix metalloproteinase-1 (MMP-1) promoter polymorphism and risk of renal cell carcinoma. INTERNATIONAL BRAZ J UROL, v. 33, n. 5, p. -, Out. 2007.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.