Busca avançada
Ano de início
Entree

Dor neuropática experimental e estimulação elétrica do córtex motor: possíveis estruturas e mecanismos envolvidos

Processo: 07/54476-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2007 - 31 de outubro de 2009
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Luiz Roberto Giorgetti de Britto
Beneficiário:Luiz Roberto Giorgetti de Britto
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Dor neuropática  Analgesia  Neurotransmissores 

Resumo

A estimulação elétrica do córtex motor (ECM) tem sido utilizada na clínica médica como ferramenta para controle da dor em pacientes com diferentes algias, principalmente as de caráter crônico, que não respondem satisfatoriamente a outros tipos de abordagens terapêuticas. Estudos preliminares, obtidos por nosso grupo, demonstraram que a ECM aumenta o limiar nociceptivo de ratos em modelo de avaliação da sensibilidade dolorosa e inibe a expressão de Egr-1 na substância cinzenta periaquedutal mesencefálica. Apesar dessa evidência, o efeito da ECM em modelo de dor crônica experimental, bem como, os mecanismos envolvidos na antinocicepção induzida por essa estimulação não foram, até o momento, esclarecidos. Assim, o objetivo deste projeto de pesquisa é avaliar o efeito da ECM em modelo experimental de dor neuropática periférica persistente, induzido pela constrição crônica do nervo ciático, em ratos. Ainda, será determinada a ativação neuronal e a liberação de neurotransmissores inibitórios, no tálamo, mesencéfalo e medula espinhal, frente à ECM na vigência de dor neuropática, com o intuito de investigar se a antinocicepção induzida pela ECM poderia interferir na inibição da via de transmissão aferente e/ou na estimulação do sistema supressor de dor endógeno. Para tanto, será avaliada a expressão e/ou produção de Fos, Egr-1, GABA e encefalina. A metodologia a ser empregada envolve métodos imuno-histoquímicos, immunoblotting e RT-PCR. Adicionalmente, será investigado o envolvimento do sistema supressor de dor durante a antinocicepção induzida pela ECM utilizando antagonistas noradrenérgicos, serotoninérgicos e GABAérgicos. Os dados poderão facilitar o entendimento do processo inibitório da resposta dolorosa obtida após ECM, na ausência ou vigência de dor neuropática crônica, e contribuir para aperfeiçoar os tratamentos clínicos empregados durante a dor persistente. (AU)