Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do risco tromboembólico e de complicações renais e hematológicas em cães com AHIM

Processo: 08/10427-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2009 - 30 de junho de 2011
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária
Pesquisador responsável:Regina Kiomi Takahira
Beneficiário:Regina Kiomi Takahira
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Hematologia veterinária  Imunologia veterinária  Anemia hemolítica auto-imune  Cães 

Resumo

A anemia hemolítica imuno-mediada (AHIM) é a causa mais comum dentre as anemias hemolíticas e a doença imuno-mediada de maior prevalência em cães, sendo classificada como primária ou secundária. A AHIM tem sido associada à estados de hipercoagulabilidade e tromboembolismo pulmonar tem sido atribuído como causa mais freqüente de óbito. A alta frequência de alterações hemostáticas fundamenta a importância de um diagnóstico precoce, efetivo e mais preciso, além da utilização de estratégias preventivas e quanto ao tratamento das mesmas. Diante disso, os objetivos deste projeto são: avaliar a ocorrência de alterações hemostáticas, complicações renais e hematológicas e prevalência das classes de imunoglobulinas envolvidas. Para tanto, serão selecionados 100 cães adultos com hematócrito inferior a 20%, sem histórico prévio de tratamento com corticóides ou transfusão sanguínea recentes e apresentando ao menos um sinal clinico (hepato, esplenomegalia, icterícia, dispnéia, taquicardia, pirexia) ou laboratorial (esferócitos, auto-aglutinação, hiperbilirrubinemia, hemoglobinemia, hiperproteinemia, hiperglobulinemia, hemoglobinúria) comumente associado a AHIM, ou possuir pré-disposição racial, descartando-se os animais com Insuficiência Renal Crônica, Aplasia Medular induzida por drogas e casos de verminose. Estes cães serão submetidos ao teste de citometria de fluxo para o diagnóstico de AHIM. Os cães positivos serão avaliados quanto ao hemograma e contagem de reticulócitos, perfil hemostático e renal, pesquisa de hematozoários em sangue periférico e testados para Ehrlichia canis e leptospirose. Os resultados serão analisados pelo teste t ou Mann-Whitney ao nível de 5% de significância. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MORAES, LIVIA FAGUNDES; TAKAHIRA, REGINA KIOMI; GOLIM, MARJORIE DE ASSIS. . Acta Scientiae Veterinariae, v. 45, NOV 26 2017. Citações Web of Science: 0.
LÍVIA F. MORAES; REGINA K. TAKAHIRA; MARJORIE DE A. GOLIM; MÁRCIA S. BAGGIO. Avaliação das alterações hemostáticas e do risco tromboembólico em cães com AHIM. Pesquisa Veterinária Brasileira, v. 36, n. 5, p. 405-411, Maio 2016.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.