Busca avançada
Ano de início
Entree

Uso de silenciamento gênico com RNA interferência e produção de proteínas recombinantes para identificação de antígenos para o desenvolvimento de uma vacina anticarrapatos

Processo: 09/00728-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2009 - 30 de abril de 2011
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Pesquisador responsável:Beatriz Rossetti Ferreira
Beneficiário:Beatriz Rossetti Ferreira
Instituição-sede: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Genômica  Interferência de RNA  Carrapatos  Vacinas 

Resumo

Carrapatos são parasitas de importância veterinária mundial que prejudicam a produção de carne, leite e couro, reduzindo significativamente a produtividade do setor pecuário. O controle é feito com agentes químicos, tóxicos para o homem e o meio ambiente. Atualmente existem duas vacinas anticarrapatos disponíveis que, em tese, seriam métodos de controle sustentáveis. No entanto, seu desempenho está aquém do necessário, o que estimula o investimento em pesquisas que busquem novos alvos para uma vacina. O nosso laboratório estuda transcriptomas de R. microplus para acelerar a descoberta de novos antígenos, tendo identificado 200 clones que codificam genes de interesse (GIs) completos relacionados a proteínas salivares secretadas. A saliva de carrapatos é alvo importante para o desenvolvimento de vacinas, pois ela está repleta de proteínas que modulam a resposta inflamatória e imunológica do hospedeiro. Tem sido mostrado que a resposta imune celular, mais especificamente T helper 1 (Th1), é essencial para determinar a resistência a carrapatos. Este projeto se propõe a estudar 15 dos 200 GIs candidatos numa triagem pelo silenciamento dos genes com RNA interferência (RNAi). Nessa triagem, os genes serão inibidos por inoculação de dsRNA específicos nos ácaros, com posterior avaliação do desempenho alimentar e reprodutivo dos carrapatos. Também serão produzidas cerca de cinco proteínas recombinantes escolhidas dentre os 15 genes estudados. Depois de produzidas, essas proteínas serão adicionadas a culturas de leucócitos de bovinos previamente infestados com carrapatos (Zebuínos resistentes a carrapatos) para analisar a capacidade das mesmas em induzirem proliferação de células T e produção de citocinas associadas a um padrão Th1. (AU)