Busca avançada
Ano de início
Entree

O sistema endovaniloide e a comunicação celular no sistema nervoso

Processo: 10/50026-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2010 - 30 de junho de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:LUIZ ROBERTO GIORGETTI DE BRITTO
Beneficiário:LUIZ ROBERTO GIORGETTI DE BRITTO
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Endocanabinoides  Comunicação celular  Degeneração neural  Retina 

Resumo

A retina é um modelo experimental muito utilizado no estudo dos mecanismos gerais de comunicação do sistema nervoso. Dentro da enorme diversidade de neuromediadores e neurorreceptores clonados e seqüenciados nos últimos anos, destacamos o sistema endovanilóide pelas suas complexas ações nos processos de multiplicação neuronal, de maturação e modulação sináptica, e de comunicação neurovascular, resultando em uma série de respostas comportamentais e orgânicas, como o desenvolvimento neural e controle da dor, aprendizado, e controle da temperatura corporal e do tonus arteriolar, entre diversas outras funções. Estudos preliminares realizados em nosso laboratório indicam que o receptor de potencial transiente do tipo vanilóide 1 (transient receptor potential vanilloid 1 - TRPV1) é expresso na retina de ratos adultos. Este receptor encontra-se distribuído em praticamente todas as camadas celulares e plexiformes da retina de ratos, sendo expresso em neurônios, astrócitos, microgliócitos e em células endoteliais. A ativação desse receptor pode levar à modulação da atividade e da expressão de diversas moléculas, como das enzimas de síntese de óxido nítrico e da calretinina, uma proteína tamponante de cálcio. Ainda, por se tratar de um receptor que pode estar localizado na pré-sinapse, há evidências que indicam que esse receptor pode levar à liberação de neurotransmissores, como o glutamato, bem como modular a produção de espécies reativas de oxigênio. No presente estudo, utilizaremos técnicas de imunoistoquímica, de immunoblotting e de análise de produção in situ de óxido nítrico e superóxido com o intuito de estudar a interação entre o receptor TRPV1 com outras vias de sinalização, como os sistemas de comunicação intra e interneuronal que incluem o glutamato, o óxido nítrico, o anion superóxido, e a sinalização mediada pelas neurotrofinas NGF, BDNF e GDNF. Para tanto, realizaremos manobras farmacológicas e de desaferentação retiniana, que é um conhecido modelo que mimetiza algumas das condições encontradas no glaucoma. Espera-se que este projeto possa contribuir para o conhecimento da circuitaria vanilóide no sistema visual de ratos, principalmente no tocante aos mecanismos de sua regulação e de interação com outros sistemas de neuromediadores. (AU)