Busca avançada
Ano de início
Entree

Repercussões da resistência insulínica sobre a função endotelial com síndrome dos ovários policísticos

Processo: 07/59690-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2008 - 31 de outubro de 2010
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:José Mendes Aldrighi
Beneficiário:José Mendes Aldrighi
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP). Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Reatividade cardiovascular  Síndrome do ovário policístico  Resistência à insulina  Marcadores inflamatórios 

Resumo

Introdução: a prevalência da síndrome dos ovários policísticos (SOP) atinge 6 a 10% das mulheres no período reprodutivo. Apesar da etiologia incerta, as repercussões estão bem determinadas, como as reprodutivas, oncológicas e metabólicas, com destaque especial para a resistência insulínica (RI), que compromete o endotélio, favorecendo a eclosão do processo de aterogênese e propiciando, dessa forma, maior risco cardiovascular. De fato, esse risco supera em sete vezes o de mulheres saudáveis, fazendo com que o rastreamento da aterogênese nesse grupo populacional assuma particular importância, com o intuito de se propor medidas de intervenção precoce. Objetivos: avaliar as repercussões da RI sobre a função endotelial periférica e central mediante avaliação da espessura da íntima/média da carótida, reatividade da artéria braquial, reserva de fluxo miocárdico e de marcadores inflamatórios como metabólitos do óxido nítrico, óxidos de colesterol, LDL oxidado e mieloperoxidase em mulheres jovens portadoras de SOP. Desenho: Em estudo transversal serão analisadas 90 mulheres, na faixa etária entre 20 e 45 anos, divididas em três grupos: grupo A, portadoras de SOP com RI; grupo B, portadoras de SOP sem RI e grupo C, o controle. Serão realizadas determinações séricas de marcadores inflamatórios como interleucinas 6 e 10, o fator de Von Willebrand, a proteína C reativa ultra-sensível e de novos marcadores como os óxidos de colesterol, metabólitos de óxido nítrico e mieloperoxidases. As participantes serão avaliadas quanto à espessura da íntima/média da carótida pelo ecodoppler; a função endotelial periférica pela reatividade vascular que analisa por meio do ultra-som de alta resolução a vasodilatação fluxo mediada da artéria braquial; por fim a função endotelial central será investigada pelo ecocardiograma de perfusão miocárdica em tempo real (EPTRM), sob estresse por dipiridamol, utilizando-se contraste à base de microbolhas. Os três grupos serão comparados para cada uma das variáveis. (AU)