Busca avançada
Ano de início
Entree

Expressão e purificação de proteína viral recombinante de membrana para estudos de função

Processo: 10/52255-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de janeiro de 2011 - 31 de dezembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Convênio/Acordo: CNRS
Pesquisador responsável:Carlos Augusto Pereira
Beneficiário:Carlos Augusto Pereira
Pesq. responsável no exterior: Renaud Wagner
Instituição no exterior: Université de Strasbourg, França
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:09/09327-7 - Desenvolvimento de bioprocesso com células S2 para produção e purificação da glicoproteina recombinante do vírus da raiva (GPV) e estudo de sua antigenicidade, AP.R
Assunto(s):Virologia 

Resumo

Este projeto de cooperação cientifica reúne pesquisadores do Laboratório de Imunologia Viral do Instituto Butantan, em São Paulo, Brasil e do Departamento de receptores e proteínas da membrana IREBS FRE 3211 do CNRS/UDS, em Lllkirch, França. O laboratório brasileiro desenvolve tecnologias para a cultura de células animais para a produção e preparação de proteínas recombinantes de interesse para a virologia e imunologia. O grupo francês é especialista em bioquímica e biofísica de proteínas de membranas celular e desenvolve sistemas adequados para expressão purificação de proteínas heterólogas. O objetivo desta colaboração diz respeito à "Otimização de expressão e purificação em sistemas Semiliki Forest Vírus (SFV) e Drosophila melanogaster (S2) para a produção de proteínas, usando como modelos a glicoproteína do vírus rábico (RVGP). Em projeto desenvolvido anteriormente (FAPESP-CNRS 06/50338-4) estes grupos estabeleceram o sistema de expressão SFV e em projeto temático (02/09482-3) o grupo brasileiro desenvolveu o sistema S2. Neste contexto, o grupo brasileiro traz a sua experiência no domínio dos sistemas de produção de proteínas recombinantes e identificação viral, fases críticas que permitem uma otimização de linhagens celulares por infecção viral (desenvolvimento de titulação do vírus por ELISA e qRT-PCR). Tem aqui a missão de fornecer o seu know-how para otimizar as condições e as técnicas de produção (otimização de cultura e de expressão, a utilização de biorreatores etc...). O laboratório francês tem a tarefa de desenvolver os protocolos adequados para a extração e purificação destas proteínas (otimização das técnicas e análises por preparação de membrana celular, solubilização de proteínas, purificação) para permitir estudos funcionais. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.