Busca avançada
Ano de início
Entree

Improving Rietveld-Based Mineralogic quantification of oxisols using SIROQUANT

Processo: 09/14819-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de novembro de 2009 - 30 de abril de 2010
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Ciência do Solo
Pesquisador responsável:Marcelo Eduardo Alves
Beneficiário:Marcelo Eduardo Alves
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Mineralogia do solo  Método de Rietveld  Latossolos  Difração por raios X 

Resumo

Embora a quantificação mineralógica de fases da fração argila de solos possa fornecer informações úteis para o aprimoramento das práticas de manejo dos mesmos, há normalmente a necessidade da combinação de diferentes métodos analíticos para que tal quantificação possa ser efetuada tornando-a assim laboriosa e de elevado custo. Uma alternativa que envolve uma única análise para a quantificação mineralógica de fases em solos consiste no uso do método de Rietveld na análise de dados de difratometria de raios X (Rietveld-DRX). No presente estudo, avaliou-se a exatidão do método Rietveld-DRX para a quantificação mineralógica da fração argila de Latossolos quando fatores de estrutura observados [F(hkl)] de minerais pedogênicos (caulinita, hematite e goethita) são usados nos refinamentos de Rietveld realizados com o software Siroquant. Os resultados mostraram que apesar das estruturas os minerais desordenados da fração argila inviabilizarem o uso do método clássico de Rietveld, que se baseia no uso de estruturas tridimensionais ordenadas, é possível se quantificar os minerais da fração argila de Latossolos mesmo para matrizes complexas que possuem um grande número de fases e diferentes graus de desordem estrutural e de composição quando valores observados do fator de estrutura são utilizados nos refinamentos. Os resultados também mostraram ser possível o desenvolvimento de fatores de estrutura para hematitas e goethitas aluminosas sem a necessidade de utilização de amostras puras das mesmas. Tais fatores podem ser utilizados como modelos estruturais nos refinamentos de Rietveld. Acredita-se que esse procedimento possa ser aplicado com sucesso para outros materiais geológicos. (AU)