Busca avançada
Ano de início
Entree

Reconstructing genetic mating systems ín “The absence of parental information ín colonially breeding waterbirds

Processo: 11/13411-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de setembro de 2011 - 29 de fevereiro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Animal
Pesquisador responsável:Silvia Nassif Del Lama
Beneficiário:Silvia Nassif Del Lama
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Parentesco  Reprodução  Aves aquáticas  Repetições de microssatélites 

Resumo

Contexto: Estudos baseados em DNA têm demonstrado que os sistemas genéticos de acasalamento em aves são amplamente variáveis e que muitas espécies desviam-se da longamente assumida monogamia, praticando acasalamento fora-do-par e parasitismo de ninho intraespecífico. As aves aquáticas de reprodução colonial constituem modelos interessantes para se estudar essa questão, pois possuem hábitos de nidificação que podem promover estratégias reprodutivas alternativas. Porém, pouco se conhece dos sistemas genéticos de acasalamento desse grupo, devido às dificuldades que existem no levantamento de dados genéticos dos adultos que cuidam da prole nos ninhos, necessários para os tradicionais estudos de paternidade. Neste trabalho, inferimos os padrões de relacionamento entre ninhegos de proles de três espécies co-distribuídas de aves aquáticas, o cabeça-seca (Mycteria americana), o colhereiro (Platalea ajaja) e a garça-branca-grande (Ardea alba egretta), para investigar o sistema genético de acasalamento em ausência de dados parentais.Resultados: Análises múltiplas que combinaram estimativas de coeficientes de parentesco genético, a formulação de hipóteses de relacionamentos, testes de significância de hipóteses alternativas e técnicas de reconstrução de relacionamentos de tipo máxima verossimilhança revelaram evidências de estratégias reprodutivas alternativas em populações naturais do cabeça-seca e do colhereiro, enquanto que os padrões de relacionamento entre os ninhegos de um mesmo ninho na garça-branca-grande não se desviaram da hipótese de monogamia genética. Especificamente, sob esse esquema de análise, os relacionamentos inferidos revelaram que os ninhos da garça-branca-grande continham irmãos-completos (100%), enquanto que o colhereiro e o cabeça-seca exibiram meio-irmãos (colhereiro: 5%) e ninhegos não-relacionados (colhereiro: 24%; cabeça-seca: 70%), padrões que estão de acordo com a existência de paternidade fora-do-par e parasitismo de ninho intraespecífico, respectivamente.Conclusões: Oferecemos evidência de que a monogamia genética ocorre nas colônias reprodutivas brasileiras da garça-branca-grande, mas não é o único comportamento reprodutivo exibido pelo cabeça-seca e pelo colhereiro. De fato, a paternidade for a-do-par e o parasitismo de ninho intraespecífico foram comuns nas últimas duas espécies, com uma freqüência combinada de 7,5% e 11,3% no colhereiro e no cabeça-seca, respectivamente. Embora geograficamente co-distribuídas, as diferenças observadas entre essas espécies podem ser devido à variação nas suas histórias de vida. A metodologia empregada neste trabalho, embora não esteja livre de limitações, pode ter uma grande aplicação em análises de sistemas nos quais se tenha limitada informação genealógica e/ou em estudos de organismos nos quais a obtenção de dados genéticos de famílias completas seja problemática. (AU)