Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da suplementação com castanha-do-Brasil (Bertholetia excelsa H.B.K) sobre os marcadores de estresse oxidativo,citocinas inflamatórias e sua relação com o polimorfismo Pro198Leu no gene da glutationa peroxidase 1 em pacientes com artrite reumatóide

Processo: 11/14801-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2011 - 30 de setembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Análise Nutricional de População
Pesquisador responsável:Silvia Maria Franciscato Cozzolino
Beneficiário:Silvia Maria Franciscato Cozzolino
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Daniel Feldman Pollak ; Graziela Biude Silva Duarte ; José Alexandre Coelho Pimentel
Assunto(s):Artrite reumatoide  Castanha  Glutationa peroxidase  Selênio 

Resumo

A artrite reumatóide (AR) é uma doença inflamatória crônica, caracterizada por inflamação das articulações e se manifesta por inchaço e incapacidade funcional das mesmas. A patologia da doença envolve a produção excessiva de radicais livres pelos neutrófilos ativados, podendo induzir a peroxidação lipídica nas membranas celulares o que leva ao aumento da inflamação. Nesse sentido, o selênio (principal fonte é a castanha-do-brasil) é um importante fator por diminuir a atividade dos hidroperóxidos por meio da ação da enzima antioxidante glutationa peroxidase (GPx). No entanto, estudos que avaliem a associação do estado nutricional relativo ao selênio em pacientes com AR com os biomarcadores do estresse oxidativo e de inflamação são escassos na literatura. Desse modo, a avaliação do efeito potencial in vivo da suplementação com castanha-do-brasil, como fonte de selênio, sobre os parâmetros descritos anteriormente e sua relação com o polimorfismo Pro198Leu no gene da GPx1, em pacientes com artrite reumatóide, vêm a suprir essa lacuna. Este estudo será de natureza longitudinal e crossover. Serão constituídos dois grupos de pacientes com artrite reumatóide, atendidos no ambulatório de reumatologia da Universidade Federal de São Paulo. Um grupo composto por 35 pacientes receberá a suplementação com uma nóz de castanha-do-brasil por dia durante dois meses e o outro (35) sem a suplementação. Após a intervenção, os dois grupos passarão por um período de washout de duração de três meses, sendo então realizado o crossover entre os grupos. Serão avaliados parâmetros bioquímicos referentes ao status de selênio, estresse oxidativo, marcadores de inflamação, além da determinação do polimorfismo Pro198Leu no gene da GPx1. A avaliação da composição corporal será feita por meio da bioimpedância e de medidas de peso e estatura e o consumo alimentar será avaliado através do registro alimentar três dias, sendo utilizado o software Nutwin da Escola Paulista de Medicina para a análise da alimentação. (AU)