Busca avançada
Ano de início
Entree

Peter S Reinach | State University of New York - Estados Unidos

Processo: 08/09578-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisador Visitante - Internacional
Vigência: 01 de junho de 2009 - 14 de junho de 2010
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biofísica - Biofísica Molecular
Pesquisador responsável:Igor Polikarpov
Beneficiário:Igor Polikarpov
Pesquisador visitante: Peter S Reinach
Inst. do pesquisador visitante: State University of New York, Oswego (SUNY), Estados Unidos
Instituição-sede: Instituto de Física de São Carlos (IFSC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Capsaicina  Receptores citoplasmáticos e nucleares  Intercâmbio de pesquisadores 

Resumo

A renovação celular e a proteção realizada pelas junções justas da camada epitelial previne que a córnea seja infectada por patógenos ambientais que podem causar inflamação e levar a perda da transparência da córnea. A renovação celular está sobre o controle de citocinas expressas pela glândula lacrimal e pela córnea. Um dos fatores envolvidos na renovação da córnea, o fator de crescimento epidérmico (EGF), induz o controle da renovação celular através da interação com seu receptor EGFR. Recentemente nós descobrimos que o EGFR também medeia respostas causadas pela estimulação de outro tipo de receptor epitelial da córnea, o receptor de potencial transiente do tipo vanilóide (TRPV-1). Esse receptor, quando estimulado por um agonista, a capsaicina, aumenta a proliferação e migração epitelial e liberação de citocinas inflamatórias através da transativação do EGFR. Porém, essas respostas não são as mesmas que as induzidas pelo EGF, o qual somente causa proliferação e migração celular. Isso sugere que a capsaicina interaja com outros receptores para mediar o controle da liberação de citocinas, tais como receptores ativadores da proliferação de peroxissomos (PPARs). PPARs são fatores de transcrição dependentes de ligantes, pertencentes à superfamília dos receptores nucleares. Essa subfamília é constituída por três representantes: PPAR-alfa, PPAR-beta/delta e PPAR-gama. Entre outras atividades, eles modulam a atividade de genes envolvidos em processos inflamatórios, incluindo cicatrização e reprodução. Neste projeto, pretendemos conduzir estudos de relação estrutura-função do PPAR-gama com capsaicina, que possam contribuir para melhor compreensão de ativação do PPAR-gama pelo este ligante e pode ajudar explicar como dois diferentes tipos de receptores epiteliais da córnea medeiam diferentes respostas embora sejam induzidos por uma via comum de sinalização celular. Esse esforço poderá ajudar no desenho de novos fármacos, que irão suprimir a inflamação da córnea e estimular a proliferação e migração das células epiteliais. (AU)