Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel da enzima indoleamina 2,3 dioxigenase (IDO) no processo de transição epitélio-mesenquimal (EMT) mediada por TGF-beta em carcinoma urogenital humano

Processo: 12/04423-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 2012 - 31 de agosto de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:Humberto Dellê
Beneficiário:Humberto Dellê
Instituição-sede: Universidade Nove de Julho (UNINOVE). Campus Vergueiro. São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados: Maria Jose Leonardo Souza
Assunto(s):Procedimentos cirúrgicos urológicos  Neoplasias urogenitais  Transição epitelial-mesenquimal  Metástase neoplásica  Linhagem celular tumoral  Fator transformador de crescimento beta  Dioxigenases  Triptofano 

Resumo

Os cânceres urogenitais representam um importante problema de saúde pública quando a morbi-mortalidade é levada em consideração. Um dos mecanismos envolvidos na patogênese destes cânceres é a transição epitélio-mesenquimal (EMT, epithelial-mesenchymal transition), a qual correlaciona-se positivamente com crescimento tumoral e metástase, levando a uma pior evolução clínica. Um dos fatores classicamente conhecidos como indutores da EMT é o TGF-beta, que atua neste processo acionamento vias de sinalização intracelular como a via PI3K. A indoleamina 2,3 dioxigenase (IDO) é uma enzima produzida na interface materno-fetal e está relacionada com a proteção fetal contra o sistema imunológico materno. Interessantemente, muitos tumores produzem IDO, levando à hipótese de que esta enzima proteja o tumor através de imunomodulação, garantindo seu crescimento e disseminação. No entanto, é provável que a IDO participe da EMT, uma vez que o TGF-beta induz a expressão desta enzima através da via PI3K em células dendríticas, um mecanismo ainda não descrito na EMT tumoral.O objetivo do estudo é analisar o papel da IDO no processo de EMT em carcinoma urogenital. Para tanto, o estudo será dividido em 3 fases. A primeira corresponde à análise da expressão de TGF-beta e IDO em biópsias de carcinoma de pênis, através de imunohistoquímica. Serão utilizadas lâminas de 151 pacientes com carcinoma de pênis e 14 indivíduos controles. A segunda fase corresponde a um estudo "in vitro" com a utilização de linhagem celular de carcinoma de bexiga urinária (T24), na qual será avaliada a EMT após estímulo com TGF-beta, analisando-se o envolvimento da via PI3K e da IDO (atividade enzimática e estrutural). A terceira fase corresponde a um estudo "in vivo" com a utilização de camundongos imunodeficientes (BALB/c nude), onde será avaliado o crescimento tumoral e o poder metastático das células T24 após inoculação, avaliando-se a influencia da IDO sobre este processo. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
SOUZA, DIEGO MOTA; GOMES MATHEUS, LUIZ HENRIQUE; SILVA, CHRISNA SOUZA; FERREIRA, JANAINA MENDES; DELLE, HUMBERTO. Renal Subcapsular Space of Balb/c Nude Mice as a Route for Evaluating Subpopulations of Human Bladder Carcinoma Cells. IN VIVO, v. 30, n. 4, p. 383-386, JUL-AUG 2016. Citações Web of Science: 0.
OLIVEIRA BRITO, RODRIGO BARBOSA; MALTA, CAMILA SOARES; SOUZA, DIEGO MOTA; GOMES MATHEUS, LUIZ HENRIQUE; TELES MATOS, YVES SILVA; SILVA, CHRISNA SOUZA; FERREIRA, JANAINA MENDES; NUNES, VALERIA SUTTI; FRANCA, CRISTIANE MIRANDA; DELLE, HUMBERTO. 1-Methyl-D-Tryptophan Potentiates TGF-beta-Induced Epithelial-Mesenchymal Transition in T24 Human Bladder Cancer Cells. PLoS One, v. 10, n. 8 AUG 12 2015. Citações Web of Science: 6.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.