Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo molecular em indivíduos com surdez neurossensorial e aqueduto vestibular alargado

Processo: 12/07901-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2012 - 31 de julho de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Edi Lúcia Sartorato
Beneficiário:Edi Lúcia Sartorato
Instituição-sede: Centro de Biologia Molecular e Engenharia Genética (CBMEG). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Otorrinolaringologia  Perda auditiva  Surdez  Aqueduto vestibular 

Resumo

O alargamento do aqueduto vestibular (EVA) é uma malformação comum radiológica da orelha interna nas crianças com início precoce de perda auditiva neurossensorial. Pode ser identificado por tomografia computadorizada ou ressonância magnética. O EVA pode ser unilateral ou bilateral e é a principal característica da síndrome de Pendred (PDS), uma doença genética com padrão de herança autossômica recessiva causada na maioria dos casos por mutações no gene SLC26A4 (OMIM 605646). Além de EVA, o bócio e um defeito na organificação do iodeto são outros sinais clínicos típicos da PDS. Por sua vez, mutações no gene SLC26A4 têm também sido observadas em indivíduos com surdez neurossensorial não síndrômica. Recentemente os genes FOXI1 e KCNJ10 também foram implicados na PDS. O gene FOXI1 é um fator de transcrição do gene SLC26A4. Medições electrofisiológicas mostraram que a alteração da pendrina, proteína codificada pelo gene SLC26A4, em modelos animais levava a surdez pela falta de um potencial endocochler (PE) devido à perda de potássio. Sendo atribuído ao gene KCNJ10 a função manutenção do potencial endococlear. De fato, posteriormente foram observados indivíduos com PDS heterozigotos compostos para mutações nos genes SLC26A4/KCNJ10. Dessa forma, o presente estudo pretende avaliar a ocorrência de mutações nos genes SLC26A4, FOXI1 e KCNJ10 em indivíduos brasileiros portadores de perda auditiva sensorioneural não-sindrômica, associada ou não a alterações no aqueduto vestibular, esclarecer a prevalência de mutações destes genes em amostras da população brasileira e a correlação genótipo-fenótipo nos indivíduos estudados. (AU)