Busca avançada
Ano de início
Entree

Topiramate treatment improves hypothalamic insulin and leptin signaling and action and reduces obesity in mice

Processo: 12/14345-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de agosto de 2012 - 31 de janeiro de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Patrícia de Oliveira Prada
Beneficiário:Patrícia de Oliveira Prada
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Assunto(s):Endocrinologia  Insulina  Hipotálamo 

Resumo

O tratamento com Topiramate (TPM) reduz a adiposidade em humanos e roedores. Esta redução é relacionada à diminuição da ingestão alimentar e ao aumento do gasto energético. Entretanto, os mecanismos moleculares pelos quais o TPM induz perda de peso ainda permanecem contraditórios e precisam ser esclarecidos. Não foi estabelecido se o tratamento com TPM altera a sinalização e ação hipotalâmica à insulina ou leptina. Portanto, investigamos se o tratamento com TPM por curto tempo altera o balanço energético por afetar a sinalização de insulina e leptina de animais com dieta hiperlipídica. Como esperado, o tratamento por curto tempo com TPM diminuiu a adiposidade de animais obesos principalmente por reduzir a ingestão alimentar. TPM induziu anorexia por aumentar a sinalização de leptina, via OBR/JAK2/STAT3, e por aumentar a sinalização de insulina, via IRS/Akt/FoxO1. Em paralelo, reduziu a expressão proteica de fosfatases em hipotálamo de animais obesos. Estes efeitos foram independentes do peso corpóreo. TPM também aumentou a expressão de neuropeptídeos anorexigênicos como POMC, TRH and CRH em animais obesos. Em adição, TPM aumentou a ativação da via hipotalâmica MAPK/ERK estimulada por leptina, e este efeito foi associado ao aumento da expressão proteica de PGC1alfa e UCP-1 no tecido adiposo marrom. TPM aumentou a fosforilação da AMPK e ACC em tecidos periféricos, sugerindo uma possível melhora do metabolismo energético nestes tecidos. Em conjunto, estes resultados demonstram novos mecanismos moleculares pelos quais o tratamento com TPM reduz a adiposidade. (AU)