Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito do hormônio tiroideano na função cardíaca no modelo de isquemia/reperfusão: papel do receptor AT2 e da via intracelular AMPK

Resumo

O coração está sob ação direta de vários fatores endócrinos capazes de modular direta ou indiretamente o trofismo cardíaco. A angiotensina II (Ang II), principal efetor do Sistema Renina Angiotensina (SRA), é um potente peptídeo vasoativo que exerce inúmeros efeitos biológicos através de seus receptores (AT1 e AT2). No coração, a Ang II promove hipertrofia dos cardiomiócitos e hiperplasia dos fibroblastos, culminando com o aumento da massa cardíaca. Paralelamente, o coração corresponde a um dos principais alvos dos Hormônios Tireoidianos (HT), os quais, entre outras ações, também influenciam o estado trófico do tecido cardíaco. Trabalhos recentes têm evidenciado estreita relação entre o processo de hipertrofia cardíaca induzida por HT e a ativação de componentes do SRA. Nosso grupo mostrou anteriormente que ratos induzidos ao hipertiroidismo e tratados simultaneamente com antagonista do receptor AT2 apresentaram prevenção da hipertrofia, tanto in vivo como in vitro. Entretanto, dados da literatura demonstram que a inibição deste receptor não inibe o efeito cardioprotetor na recuperação da função cardíaca promovido pelos HT no modelo de Isquemia/Reperfusão (I/R). Considerando que: - os estudos a respeito do papel do receptor AT2 neste modelo de I/R são bastante escassos; - estudos recentes têm demonstrado que o processo de I/R promove diminuição na expressão do receptor AT2 no miocárdio, com consequente prejuízo funcional, enquanto o aumento de sua expressão melhora a recuperação da função cardíaca; - e ainda o fato do hipertireoidismo levar a um aumento da expressão do receptor AT2 em torno de 50% no coração, nós temos como hipótese no presente estudo que, pelo menos em parte, o papel cardioprotetor exercido pelo HT pode ocorrer com a participação do receptor AT2. Esta hipótese será testada utilizando o modelo de I/R em corações isolados de ratos Wistar submetidos ao tratamento por 14 dias com T3 (7ug/100g p.c / 14 dias), na presença ou na ausência do antagonista do receptor AT2 (PD123319). O papel da via de sinalização da proteína quinase ativada por adenosina monofosfato (AMPK), normalmente acionada em resposta a estresse isquêmico, será também avalida neste projeto. (AU)