Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da colonização e infecção por bactérias multirresistentes em pacientes com doença renal crônica terminal

Processo: 12/07671-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2013 - 31 de outubro de 2015
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:Dulce Aparecida Barbosa
Beneficiário:Dulce Aparecida Barbosa
Instituição-sede: Escola Paulista de Enfermagem (EPE). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Antonio Carlos Campos Pignatari
Assunto(s):Insuficiência renal crônica  Falência renal crônica  Infecções bacterianas  Resistência microbiana a medicamentos 

Resumo

Infecção é a maior causa de morbidade e segunda causa mais frequente de mortalidade em pacientes com insuficiência renal crônica terminal. O S.aureus, Staphylococcus coagulase negativa e Enterococcus spp são os principais agentes colonizantes e causadores de infecções nesta população, bem como a Klebsiella pneumoniae produtora de carbapenemase (KPC). Considerando a possibilidade de colonização e infecção concomitante por S. aureus resistente a metilicina (MRSA), S. aureus com resistência intermediária a vancomicina (VISA), Enterococcus resistente à vancomicina (VRE) e KPC, ficamos motivados em realizar este estudo. Objetivos: i) determinar a prevalência de colonização e/ou infecção, morbidade e mortalidade; ii) identificar os fatores de risco; iii) analisar o modo de disseminação e transmissão cruzada; iv) determinar a prevalência dos genes que conferem resistência. Método: estudo de coorte no Serviço de Diálise e Transplante da Unifesp onde serão incluídos 900 pacientes (tratamento conservador, dialítico e transplante). Para determinação da prevalência de colonização será realizada a vigilância dos microrganismos : S.aureus, MRSA e VISA: através de coleta de amostras nasais de todos os pacientes. Vigilância do VRE e KPC: através de amostras de fezes ou de swab retal. Os pacientes serão acompanhados por um período de seis meses para o registro das intercorrências mórbidas como internação, causa de internação e de óbito. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
REZENDE, T. F. T.; DOI, A. M.; QUILES, M. G.; PIGNATARI, A. C. C.; MANFRENDI, S.; GROTHE, C.; TAMINATO, M.; BARBOSA, D. A. Detection of colonization by carbapenem-resistant organisms by real-time polymerase chain reaction from rectal swabs in patients with chronic renal disease. Journal of Hospital Infection, v. 96, n. 2, p. 123-128, JUN 2017. Citações Web of Science: 2.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.