Busca avançada
Ano de início
Entree

Eficácia do neuromodulador não invasivo de pares cranianos em pacientes com zumbido crônico: ensaio clínico duplo cego randomizado

Processo: 13/15933-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2014 - 31 de janeiro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:Jeanne Oiticica Ramalho Ferraz
Beneficiário:Jeanne Oiticica Ramalho Ferraz
Instituição-sede: Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados: Sandra Lira Bastos de Magalhães
Assunto(s):Otorrinolaringologia  Zumbido  Neuromodulação  Plasticidade neuronal  Sistema nervoso central 

Resumo

O zumbido é um sintoma que pode ser definido como toda percepção auditiva na ausência de fonte sonora externa correspondente no ambiente. Cerca de 80% destes pacientes não se incomoda com o sintoma, porém em 20% dos casos o zumbido se estabelece como sintoma crônico e provoca repercussões importantes na qualidade de vida, o que pode afetar o sono, a concentração, o equilíbrio emocional e até as atividades sociais habituais Apesar da elevada prevalência, ainda não se estabeleceu consenso sobre a origem neurofisiológica do zumbido. Ainda não está claro se disfunções restritas ao sistema auditivo são suficientes para explicar a fisiopatologia do zumbido crônico e incapacitante. Ao que parece, evidências apontam para o acometimento adicional de outras redes neurais, entre elas, em especial, o sistema límbico. Portanto, apesar da sensação fantasma resultar primariamente de uma deaferentação periférica, esta só atinge estado de consciência quando o aumento da atividade neural no córtex sensorial primário se propaga para uma rede cerebral global de atenção mais ampla, envolvendo área frontal e parietal. É imperativo, portanto, identificar estratégias e estímulos por meio de neuromodulação que possam amenizar conexões aberrantes entre estas redes neurais múltiplas. A neuromodulação pode ser definida como processo fisiológico pelo qual determinado neurônio usa vários neurotransmissores diferentes para regular simultaneamente inúmeras populações de neurônios no sistema nervoso central (SNC). Ela pode ser obtida numa série de terapias médicas emergentes que atuam sobre o SNC para recuperar função, aliviar a dor, controlar sintomas, como no caso da estimulação elétrica da língua, conhecida como neuromodulação não invasiva de nervo craniano (CN-NINM, Cranial Nerve Non-Invasive Neuromodulation), sendo de interesse neste projeto. A nossa hipótese é que a neuromodulação sustentada por meio do CN-NINM pode ser mais eficaz do que a estimulação placebo no tratamento de pacientes com zumbido crônico e que se incomodam; por meio de possível atividade modulatória sobre o núcleo coclear deaferentado e reorganização sensorial ao longo das vias auditivas centrais. Por se tratar de um sintoma bastante prevalente na população geral, em alguns casos com impacto significante na qualidade de vida do paciente; contribuições científicas que ampliem as opções terapêuticas viáveis são de fundamental importância na prática clínica cotidiana. (AU)