Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de formas farmacêuticas sólidas multiparticuladas revestidas para liberação gástrica e enterica do complexo papaína-ciclodextrina

Processo: 13/04513-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2014 - 31 de janeiro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Farmacotecnia
Pesquisador responsável:Newton Andréo Filho
Beneficiário:Newton Andréo Filho
Instituição-sede: Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas (ICAQF). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Diadema. Diadema , SP, Brasil
Pesq. associados:Gustavo Henrique Costa Varca ; Patricia Santos Lopes
Assunto(s):Formas farmacêuticas  Enzimas proteolíticas  Papaína  Ciclodextrinas  Sistemas de liberação de medicamentos 

Resumo

A produção de medicamentos contendo enzimas vem sofrendo uma constante expansão devido ao seu amplo potencial terapêutico. A papaína é uma enzima proteolítica isolada do látex das folhas e do fruto verde do mamão papaia adulto, Carica papaya Linné, utilizada como auxiliar na absorção cutânea e agente debridante no tratamento de feridas e escaras. Apesar do potencial terapêutico que estas biomoléculas possuem, são pouco exploradas para administração pela via oral. Neste sentido, o objetivo do projeto ora apresentado é desenvolver formulações multiparticuladas revestidas, pellets e minicomprimidos, contendo papaína livre e complexada com ²-ciclodextrina, tanto para liberação gástrica quanto entérica, visando o tratamento de processos ulcerativos do trato gastrintestinal. Para tanto, os complexos de papaína-²-ciclodextrina serão produzidos, caracterizados e posteriormente misturados a excipientes inertes para a produção das formulações. As formulações produzidas serão avaliadas quanto aos parâmetros de qualidade para pellets e comprimidos e posteriormente submetidas ao revestimento com filme polimérico em turbina. Posteriormente, serão avaliadas quanto às características de liberação da papaína e a manutenção de sua atividade biológica. Espera-se que o desenvolvimento de formas farmacêuticas sólidas, multiparticuladas e revestidas, veiculando biomoléculas ativas de característica proteica, a exemplo da papaína, abra caminho para o acúmulo de conhecimento e experiência para a veiculação de outras biomoléculas de estrutura proteica com potencial interesse terapêutico. Os resultados obtidos deverão conduzir a elaboração de artigos científicos e/ou patentes das formulações a serem apresentados às empresas do setor farmacêutico interessadas em dar continuidade ao desenvolvimento do trabalho. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.