Busca avançada
Ano de início
Entree
Conteúdo relacionado

Development of lignin active enzyme mixture to produce sugars from lignocellulosic biomass for production of fuels, chemicals and bio based materials

Processo: 17/50025-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2017 - 30 de junho de 2019
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Convênio/Acordo: University of Nebraska - Lincoln
Pesquisador responsável:Fernando Segato
Beneficiário:Fernando Segato
Pesq. responsável no exterior: Mark Wilkins
Instituição no exterior: University of Nebraska-Lincoln (UNL), Estados Unidos
Instituição-sede: Escola de Engenharia de Lorena (EEL). Universidade de São Paulo (USP). Lorena, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/18714-2 - Oxidação enzimática do bagaço de cana-de-açúcar: descoberta, caracterização e aplicação de novas enzimas oxidativas de carboidratos, voltadas para o desenvolvimento de um cell factory mais eficiente, AP.BIOEN.JP
Assunto(s):Engenharia  Degradação de biomassa  Biomassa lignocelulósica  Lignina  Celulose  Hemicelulose  Projetos SPRINT 

Resumo

A produção de combustíveis e produtos químicos a partir de materiais renováveis como é biomassa lignocelulósica não é um processo trivial, principalmente devido a sua recalcitrância o que dificulta a sua desconstrução. Esta recalcitrância é devida, principalmente à presença da lignina contida na parede celular da planta. A lignina pode ser quebrada ou removida da parede celular da planta por pré-tratamentos com custo elevado e que necessitam de produtos químicos, altas temperaturas e alta pressão. Lignina na biomassa lignocelulósica é resistente ao ataque de microrganismos, no entanto, os fungos de podridão branca produzem um número de enzimas que podem degradar este composto. Este projeto combinará a experiência de dois pesquisadores, o Dr. Wilkins da UNL e o Dr. Segato da EEL-USP para o desenvolvimento de um coquetel enzimático para degradar lignina, celulose e hemicelulose para produzir açucares que podem ser fermentados por microrganismos para produzir combustíveis e produtos químicos. O coquetel utilizará enzimas ativas em lignina produzidas heterologamente pelo Prof. Segato. Bagaço e palha de milho serão pré-tratados com água quente com vários graus de severidade pelo Prof. Wilkins e então hidrolisados por várias combinações de enzimas ativas em lignina e celulases. A otimização do coquetel será realizada por superfície de resposta. Cada Pi visitará a instituição correspondente duas vezes. No primeiro ano os experimentos serão feitos no laboratório principal e pós um lab. treinará o outro. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Pesquisas buscam melhores formas de usar a biomassa 
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.