Busca avançada
Ano de início
Entree

Using big data for small area epidemiological studies: developing a new UK-Brazil partnership

Processo: 17/50189-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2017 - 30 de setembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva
Convênio/Acordo: Imperial College, Reino Unido
Proposta de Mobilidade: SPRINT - Projetos de pesquisa - Mobilidade
Pesquisador responsável:Maria Regina Alves Cardoso
Beneficiário:Maria Regina Alves Cardoso
Pesq. responsável no exterior: Ana Hansel
Instituição no exterior: Imperial College London, Inglaterra
Instituição-sede: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:12/04721-1 - Acidente de trabalho: da análise sócio técnica à construção social de mudanças, AP.TEM
Assunto(s):Saúde pública  Estudos epidemiológicos  Métodos epidemiológicos  Medidas de ocorrência de doenças  Qualidade do ar  Big data  Cooperação internacional 

Resumo

Há preocupação crescente, tanto no Brasil como no Reino Unido, sobre o impacto de fatores ambientais, incluindo a poluição do ar, sobre a nossa saúde, particularmente em ambientes urbanos. As grandes quantidades de dados disponíveis requerem o uso de métodos apropriados para influenciar adequadamente as políticas de saúde pública. Por meio deste projeto, os pesquisadores pretendem desenvolver uma colaboração a longo prazo baseada em projetos em andamento e na reconhecida especialização da SAHSU no desenvolvimento de novos métodos epidemiológicos para mapeamento de doenças, análise de risco, exposição ambiental e modelagem espaço-temporal. Usaremos os dados já coletados e estabeleceremos de forma colaborativa os melhores protocolos para estudar as associações potenciais entre a qualidade do ar e a saúde, considerando os fatores de confusão clássicos como o tabagismo e a condição socioeconômica. Por meio de viagens colaborativas e workshops internacionais, este projeto contribuirá para formar parceiros na análise Big Data e gerar novas bases de evidência para subsidiar as políticas locais de saúde pública. (AU)