Busca avançada
Ano de início
Entree

Compreendendo o efeito da época de aplicação do N no rendimento de milho e recuperação do N-fertilizante: uma abordagem utilizando determinação isotópica com N marcado

Processo: 18/02916-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de abril de 2018 - 30 de setembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitotecnia
Pesquisador responsável:José Laércio Favarin
Beneficiário:José Laércio Favarin
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Adubação  Nitrogênio  Fertilizantes  Milho  Publicações de divulgação científica  Artigo científico 

Resumo

A adubação antecipada de nitrogênio (N) sobre culturas de coberturas ou seus resíduos é uma prática realizada em condições subtropicais do Brasil que adotam o sistema de semeadura direta na cultura do milho. No entanto, o efeito da adubação antecipada sobre a produtividade de grãos, acúmulo de N e recuperação do N-fertilizante (RNF) no milho não é totalmente conhecido. Cinco épocas de aplicação na sucessão aveia-milho foram avaliadas em dois estudos utilizando fertilizante marcado com isótopo estável 15N. As épocas de aplicação foram: (i) perfilhamento da aveia; (ii) 15 dias antes da semeadura d milho, sobre os resíduos da aveia; (iii) na semeadura do milho; (iv) no crescimento do milho, em V3; e (v) no crescimento do milho, com aplicação parcelada em V3 e V6. Baseado nas análises estatísticas, as épocas de adubação foram classificadas em três grupos: N-AVEIA, designado para a aplicação na aveia; N-SEMEADURA, designado para as aplicações realizadas em pré-semeadura e na semeadura do milho; N-MILHO, designado para as aplicações realizadas durante o crescimento do milho. A produtividade de grãos não foi afetada pelas épocas de aplicação. Todavia, as aplicações realizadas em N-MILHO enriqueceram a RNF em 17% e 35% e a recuperação total de N-fertilizante (solo+planta) em 16% e 24% comparado a N-AVEIA e N-SEMEADURA, respectivamente. Em geral, N-AVEIA resultou em maior quantidade de N derivado do fertilizante (NDDF) nas camadas mais profundas do solo, com uma diferença de 10kg ha-1 mais em relação aos demais grupos. Apesar da produtividade de grãos não ser afetada, a aplicação antecipada em condições tropicais não é uma opção viável, visto que reduziu a RNF e aumentou a quantidade de N-fertilizante não recuperado no sistema. (AU)