Busca avançada
Ano de início
Entree

Aproveitamento do resíduo do coco verde para produção de compósitos destinados a construção rural

Processo: 07/04425-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2007
Vigência (Término): 31 de outubro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Engenharia Agrícola - Construções Rurais e Ambiência
Pesquisador responsável:Holmer Savastano Junior
Beneficiário:Camila Lúcio Pereira
Instituição-sede: Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA). Universidade de São Paulo (USP). Pirassununga , SP, Brasil
Assunto(s):Reciclagem   Sustentabilidade   Materiais compósitos   Fibras

Resumo

Nos últimos anos, especial atenção vem sendo dada para minimização ou reaproveitamento de resíduos sólidos gerados nos diferentes processos industriais. Embora orgânico, o resíduo do coco verde é de difícil degradação, serve de foco para proliferação de doenças, e diminui a vida útil de aterros sanitários e lixões. O aproveitamento desse resíduo (fibras) é um avanço para a cadeia agroindustrial do coco, que o descarta pela dificuldade de processamento. Fibras são, cada vez mais, incorporadas em matrizes frágeis, na tentativa de melhorar as propriedades do compósito, através da redução do número de fissuras, da abertura das mesmas e da sua velocidade de propagação. Porém, persistem incertezas sobre o tema, tanto em relação aos aspectos ligados ao desempenho dos materiais reforçados com fibras quanto à eficiência das fibras. Dessa forma, o presente trabalho objetiva avaliar a viabilidade da utilização da fibra da casca do coco verde como matéria-prima para a construção civil, a partir da identificação, caracterização e beneficiamento das fibras para reforço de compósitos de matriz inorgânica à base de cimento, para obtenção de elementos construtivos não convencionais destinados preferencialmente às instalações rurais. Espera-se que a utilização de tratamentos químicos e físicos para as fibras de coco verde, antes de sua incorporação na matriz cimentícia, amplie o desempenho físico, mecânico e térmico dos compósitos produzidos.