Busca avançada
Ano de início
Entree

Ação dos desreguladores endócrinos bisfenol A e cádmio sobre a próstata do gerbilo: efeitos sob condição de supressão androgênica por orquiectomia bilateral

Processo: 10/15826-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2010
Vigência (Término): 30 de novembro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Histologia
Pesquisador responsável:Sebastião Roberto Taboga
Beneficiário:Egon Samuel Garcia Silva
Instituição-sede: Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José do Rio Preto. São José do Rio Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Bisfenol A   Cádmio   Próstata   Orquiectomia   Androgênios   Gerbillinae

Resumo

A próstata é uma glândula acessória do sistema reprodutor responsável pela produção de um líquido alcalino que garante a capacitação e sobrevivência dos espermatozóides. O seu desenvolvimento ocorre sob influência de um controle androgênico e estrogênico regulado e preciso, de forma que sensíveis interferências podem predispor esta glândula a desenvolver doenças como hiperplasia prostática benigna e câncer durante a vida adulta e senil. Pesquisas atuais têm demonstrado que diversos poluentes ambientais, quando em contato com o organismo humano, apresentam atividade hormonal. Entre estes químicos ambientais, destacam-se o bisfenol A e o cádmio. O bisfenol é um monômero liberado de polímeros plásticos amplamente utilizados na atualidade. O cádmio é um metal pesado tóxico utilizado na indústria e também liberado pela queima do tabaco. Estas duas substâncias podem interferir com a morfogênese prostática, uma vez que mimetizam estrógenos. Diversos estudos têm demonstrado que a exposição intra-uterina e neonatal a estes desreguladores estrogênicos altera o padrão normal da morfogênese prostática, favorecendo o desenvolvimento de lesões na vida adulta e senil. Contudo, pouca atenção tem sido voltada para os efeitos que a exposição a estes químicos ambientais pode causar durante o desenvolvimento prostático pós-natal. A puberdade é um período importante do desenvolvimento pós-natal da próstata, pois a secreção testicular de andrógenos iniciada na adolescência induz um novo surto de crescimento e diferenciação prostática. Se a castração é realizada neste período, a próstata não se desenvolve devido à ablação androgênica. Adicionalmente, se a próstata de animais castrados for estimulada por outras vias, como, por exemplo, os químicos ambientais com atividade estrogênica, poderá ocorrer um padrão alterado de desenvolvimento pós-natal da próstata. Portanto, é de fundamental importância avaliar como a exposição a estas substâncias ambientais atua na fase puberal da próstata de indivíduos castrados, observando como os disruptores de ação estrogênica atuam sobre o desenvolvimento pós-natal da próstata na ausência de andrógenos. Assim, o objetivo deste estudo é avaliar se a exposição ao bisfenol A e ao cádmio durante a puberdade pode causar alterações morfofisiológicas na próstata de gerbilos machos castrados. Para cumprir este propósito serão empregados métodos morfológicos, morfométrico-estereológicos, imunohistoquímicos e bioquímicos. A partir dos resultados obtidos, poderão ser elucidados os possíveis mecanismos envolvidos com a alteração do desenvolvimento prostático pós-natal, tornando possível a associação destes mecanismos com o surgimento de doenças prostáticas durante a vida adulta e a senescência. (AU)