Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do envolvimento do complexo basolateral e do núcleo central da amígdala em processos de tomada de decisões e de comportamento impulsivo, em ratos

Processo: 10/51550-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2011
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Fisiológica
Pesquisador responsável:Gilberto Fernando Xavier
Beneficiário:Barbara Kazue Amaral Onishi
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Memória animal   Tomada de decisão

Resumo

Processos de tomada de decisões vêm sendo estudados por meio de procedimentos envolvendo condicionamento operante. O desempenho de uma resposta operante parece ser resultado da interação entre dois processos associativos distintos: uma associação "estimula-resposta" (R-O) e uma associação "estímulo-resposta" (S-R). Treinamento prolongado parece favorecer a utilização de estratégias S-R, em comparação ao treinamento usual, que parece favorecer a utilização de associações R-O. Há evidências de que o complexo basolateral da amígdala (BLA) estaria envolvido na formação de associações R-O, ao passo que o núcleo central da amígdala (Ce) estaria envolvido na formação de associações S-R. Ademais, ratos lesados no BLA se mostram mais impulsivos do que ratos controle numa tarefa de tomada de decisão com atraso de recompensa. O presente trabalho avaliará a hipótese de que esse aumento de impulsividade reflete a manifestação de uma estratégia S-R, preservada nesses animais após a lesão do BLA, dada a sua impossibilidade de valer-se de estratégias R-O. Essa hipótese será avaliada por meio de tarefas em que se manipula a magnitude das recompensas liberadas com atraso e a quantidade de treino prévio dos animais. Se o prejuízo de ratos lesados no BLA, e conseqüente impulsividade, consistir na incapacidade de manter o valor de incentivo da recompensa na memória durante o intervalo até a sua liberação, como proposto por alguns autores, eles não alterarão suas escolhas perante uma mudança na magnitude da recompensa liberada com atraso. Por outro lado, se danos no BLA levam à adoção de estratégias do tipo S-R, o treinamento prolongado deverá minimizar os prejuízos comportamentais desses animais em relação a animais com danos no BLA submetidos ao treinamento usual. Danos no Ce não deverão resultar em aumento ou diminuição da impulsividade na mesma tarefa de tomada de decisões, já que as associações do tipo R-O, preservadas nesses animais, seriam suficientes para o desempenho normal na tarefa. (AU)