Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento analítico para quantificação de ácido pfáffico em genótipos de Pfaffia paniculata a partir da obtenção do padrão analítico.

Processo: 09/00383-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de março de 2009
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2010
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Analítica
Pesquisador responsável:Marili Villa Nova Rodrigues
Beneficiário:Carolina de Marchi Santiago da Silva
Instituição-sede: Centro Pluridisciplinar de Pesquisas Químicas, Biológicas e Agrícolas (CPQBA). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Paulínia , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:08/01376-6 - Desenvolvimento analítico para quantificação de ácido pfáffico em genótipos de Pfaffia paniculata a partir da obtenção do padrão analítico, AP.R
Assunto(s):Processos de separação   Pfaffia paniculata

Resumo

A Pfaffia paniculata Kuntze (Amaranthaceae) conhecida como "ginseng brasileiro" pela similaridade da morfologia de suas raízes com o ginseng (Panax spp. - Araliaceae) é muito utilizada na medicina popular como tônico afrodisíaco e antidiabético. Dentre as várias atividades terapêuticas de suas raízes inclui-se a atividade analgésica, antiinflamatória e anti-tumoral. A atividade anti-tumoral, atribuída ao ácido pfáffico presente nas raízes de P. paniculata despertou grande interesse pela comercialização desta espécie. No Brasil, embora a P. paniculata seja a mais empregada em preparações comerciais a P. glomerata é normalmente utilizada como seu substituto principalmente na região sul do país ou em mistura (fraude), uma vez que a P. paniculata é de difícil cultivo. É importante salientar que a P. paniculata e a P. glomerata possuem constituições químicas diferentes consequentemente, diferentes atividades farmacológicas, sendo necessário a utilização de um controle de qualidade adequado para a diferenciação das espécies.Uma vez que o ácido pfáffico encontra-se presente apenas na P. paniculata, a autenticidade desta espécie pode ser realizada através da quantificação deste composto na raíz, o que vem justificar a necessidade de um método analítico validado. Porém, o principal desafio no desenvolvimento deste método analítico é a indisponibilidade comercial do padrão analítico de ácido pfáffico, levando à necessidade de isolamento do mesmo, além da dificuldade química da molécula (ausência de cromóforos e alta polaridade). A importância terapêutica da P. paniculata sobretudo como anti-tumoral, a disponibilidade de uma coleção de diferentes genótipos no Campo Experimental do CPQBA e a falta de um método analítico apurado para o controle de qualidade desta espécie brasileira motivaram a elaboração deste projeto, que visa validar um método cromatográfico para aplicação no controle de qualidade do "ginseng brasileiro" além de dispor de maiores informações sobre os diferentes genótipos da coleção. A metodologia desenvolvida para a quantificação de ácido pfáffico, será empregada na seleção de diferentes acessos de P. paniculata cultivadas no Campo Experimental do CPQBA-UNICAMP, além da contribuição analítica para o controle da qualidade da Pfaffia paniculata, que servirá como apoio para outros projetos de pesquisa já em desenvolvimento.