Busca avançada
Ano de início
Entree

Gramaticalização da construção "quase que"

Processo: 11/13036-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2012
Vigência (Término): 31 de maio de 2014
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Letras - Língua Portuguesa
Pesquisador responsável:Maria Célia Pereira Lima Hernandes
Beneficiário:Priscilla Klinger Nogueira
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Gramaticalização

Resumo

Tomando como ponto de partida a ideia de que toda mudança operada diacronicamente deixa pistas de seu percurso na língua sincrônica, tomamos como objetivo a investigação da construção de base aproximativa "quase que" no português do Brasil. Esse propósito envolve as tarefas de (i) análise de estruturas com grau de polaridade negativa em termos de certeza e de convicção do falante e (ii) rastreamento de dados que possam trazer esse uso para, então, (iii) descrevê-los com base em princípios funcionalistas, dentre os quais se inclui o princípio de iconicidade, especialmente em sua subcategoria de quantidade (Cunha, Costa e Cezario, 2003). Como resultado dessa análise, espera-se (iv) identificar o processo de gramaticalização da construção "quase que", aparentemente uma forma concorrente de "quase", porém, intuitivamente, uma expressão de função inovadora. Dado o interesse pelo ensino de gramática e pela incorporação de usos inovadores na escrita formal, selecionamos como corpus redações dissertativas de candidatos aos vestibulares da Fuvest (Fundação Universitária para o Vestibular) e da Comvest (Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp). A situação de produção desses textos (concursos vestibulares) somada aos objetivos do escrevente (adesão ao padrão culto e aprovação no vestibular) seriam suficientes para que usos inovadores ou vinculados à escrita informal fossem elididos dos textos. Contudo, se considerarmos que, quanto maior a complexidade do pensamento, maior a complexidade da codificação linguística, ou, de outro modo, quanto maior a quantidade de informações, maior a quantidade de forma linguística, então a diferença entre o item aproximativo "quase" e a construção "quase que" poderá advir justamente de uma informação mais complexa e mais abstrata que o escrevente pretende codificar. Esta é nossa hipótese: uma nova função orientada pelo princípio de iconicidade deve ter guiado a mudança gramatical do item "quase" em sua nova configuração "quase que". É objetivo deste trabalho identificá-la.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
NOGUEIRA, Priscilla Klinger. Gramaticalização da construção \'quase que\': motivações cognitivas para o uso da construção de incerteza. 2014. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.