Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da fadiga no andar de pacientes com doença de Parkinson: relação com o nível de atividade física.

Processo: 11/05144-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2012
Vigência (Término): 31 de julho de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Lilian Teresa Bucken Gobbi
Beneficiário:Paulo Cezar Rocha dos Santos
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Assunto(s):Fadiga   Controle motor   Doença de Parkinson

Resumo

A fadiga é considerada um sintoma de grande incidência em pacientes com doença de Parkinson (DP) podendo influenciar no andar. A atividade física se contrapõe aos efeitos da DP e da fadiga. Entretanto, o relacionamento entre o nível de atividade física e fadiga e a influência da indução à fadiga nos parâmetros do andar em pacientes com DP comparados com indivíduos controle não se faz claro. Para preencher essas lacunas, dois estudos são propostos: A) o Estudo 1 tem como objetivo comparar e relacionar a percepção subjetiva de fadiga com o nível de atividade física em pacientes com DP e em indivíduos não acometidos pela DP. Participarão desse estudo 80 indivíduos, sendo de 40 pacientes com DP e 40 indivíduos sem DP. Os participantes, dentro de seus grupos, serão distribuídos em ativos (20) e inativos (20) de acordo com a pontuação no Questionário de Baecke modificado para idosos. O Multidimensional Fatigue Inventory será utilizado para verificar a percepção subjetiva da fadiga. O relacionamento entre nível de atividade física e percepção subjetiva de fadiga para cada grupo será observado por meio do teste de correlação. A comparação da percepção subjetiva de fadiga será realizada através de análise de variância tendo como fator grupo e nível de atividade física. B) O Estudo 2 tem como objetivo analisar o efeito da fadiga muscular nas variáveis cinemáticas, cinéticas e eletromiográficas do andar livre e adaptativo de pacientes com DP e indivíduos não acometidos pela DP, considerando o nível de atividade física. Para isso, serão selecionados 40 indivíduos, sendo 20 pacientes com DP (10 ativos e 10 inativos) e 20 indivíduos sem DP (10 ativos e 10 inativos). Três tentativas serão realizadas para as condições do andar livre e adaptativo antes e após indução à fadiga, realizada pela tarefa de sentar e levantar em uma cadeira. Variáveis cinemáticas, cinéticas e eletromiográficas serão coletadas durante as tentativas. Análises de variância serão realizadas considerando os fatores: grupo e fadiga, tendo o nível de atividade física como co-variável. Espera-se que os resultados deste projeto contribuam para um melhor entendimento acerca do controle da locomoção e, consequentemente, para subsidiar a intervenção em pacientes com DP.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
IGNACIO PEREIRA, VINICIUS ALOTA; BARBIERI, FABIO AUGUSTO; ZAGATTO, ALESSANDRO MOURA; ROCHA DOS SANTOS, PAULO CEZAR; SIMIELI, LUCAS; BARBIERI, RICARDO AUGUSTO; CARPES, FELIPE PIVETTA; BUCKEN GOBBI, LILIAN TERESA. Muscle Fatigue Does Not Change the Effects on Lower Limbs Strength Caused by Aging and Parkinson's Disease. Aging and disease, v. 9, n. 6, p. 988-998, DEC 2018. Citações Web of Science: 3.
Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
SANTOS, Paulo Cezar Rocha dos. Efeito da fadiga no andar de pacientes com doença de Parkinson : relação com o nível de atividade física. 2013. 73 f. Dissertação de Mestrado - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Instituto de Biociências (Campus de Rio Claro)..

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.