Busca avançada
Ano de início
Entree

A inserção internacional de cidades como ferramenta para o desenvolvimento local: os casos das secretarias municipais de relações internacionais de são paulo e guarulhos

Processo: 12/08056-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2012
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Ciência Política - Política Internacional
Pesquisador responsável:Regina Claudia Laisner
Beneficiário:Marina Morais de Andrade
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Humanas e Sociais (FCHS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Franca. Franca , SP, Brasil
Assunto(s):Desenvolvimento regional   Paradiplomacia   São Paulo

Resumo

Com o fim da Guerra Fria, a intensificação dos processos de globalização e de integração regional, criou-se um forte estímulo para a atuação internacional das cidades. Ademais, em um contexto de perda de capacidade de promoção do desenvolvimento pelos Estados, as cidades no mundo inteiro passaram a emergir como atores políticos nacionais, responsáveis pelo desenvolvimento local. No Brasil fica cada vez mais notória a atuação internacional das cidades como alternativa diante da diminuição da capacidade do governo federal de suprir as demandas locais. O presente trabalho se propõe ao estudo desse processo, do ponto de vista das Relações Internacionais, abordando a inserção das cidades, conhecida na literatura especializada como fenômeno paradiplomático, através da análise da atuação das Secretarias Municipais de Relações Internacionais (SMRI's). Para tanto, serão analisados os casos das SMRI's de São Paulo (SP) e de Guarulhos (SP), com a finalidade de observar o perfil dos projetos adotados em cada uma destas Secretarias e seus impactos buscando compreender em que medida há o comprometimento com o desenvolvimento das cidades, entendido, sob a perspectiva de Amartya Sen, como a expansão das capacidades da população e das liberdades instrumentais. Buscar-se-á cumprir este objetivo a partir de estudos teóricos que possam embasar o projeto, vinculados a levantamentos empíricos baseados nos materiais fornecidos pelas prefeituras, em visitas institucionais e entrevistas realizadas com os gestores municipais.