Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do estado epigenético de miRNAs marcadores para esclerose múltipla

Processo: 12/15746-5
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 10 de outubro de 2012
Vigência (Término): 09 de março de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Humana e Médica
Pesquisador responsável:Wilson Araújo da Silva Junior
Beneficiário:Julio Cesar Cetrulo Lorenzi
Supervisor no Exterior: Maja Jagodic
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Local de pesquisa : Karolinska Institutet, Suécia  
Vinculado à bolsa:10/00310-1 - Assinatura de expressão de miRNAs de subpopulações de linfócitos T em indivíduos normais e pacientes com esclerose múltipla, BP.DR
Assunto(s):Esclerose múltipla   MicroRNAs

Resumo

A esclerose múltipla (EM) é uma doença inflamatória que ocorre no sistema nervoso central e é caracterizada por um infiltrado linfocitário perivenular, desmielinizaçao e variável perda axonal. As proteínas da bainha de mielina são consideradas os principais alvos de ataque do linfócito T. Evidências da indução e da perpetuação da EM indicam que os linfócitos T CD4+ autorreatiavos tem um papel central na patogênese autoimune da EM. O regulação da expressão gênica nessas células parece ter ligação direta com o desenvolvimento da EM. Entre as diferentes classes de moléculas capazes de regular a expressão gênica, os microRNAs (miRNAs) tem sido descritos com grande importância nas doenças autoimunes. Os miRNAs são pequenos RNAs não-codificadores distribuídos no genoma humano que controlam a expressão protéica a partir da degradação do RNA mensageiro. Dados parciais do projeto de doutorado do pesquisador visando avaliar a expressão de miRNAs nas diferentes subpopulações de linfócitos T CD4+ e CD8+, determinaram uma assinatura de miRNAs que podem estar envolvidos na fisiopatologia da EM. Para investigar os mecanismos envolvidos no controle da expressão desses miRNAs, propomos, em colaboração com a Dra. Maja Jagodic do Karolinska Institute (Estocolmo, Suécia), estudar o papel da metilação no controle epigenético da expressão em um conjunto de miRNAs diferencialmente expressos nos pacientes com EM. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Descoberta molécula com potencial para tratar o câncer de ovário 
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias: (340 total)
Mais itensMenos itens