Busca avançada
Ano de início
Entree

Sistema de análise de transmitâncias em lentes solares

Processo: 12/03565-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2012
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2014
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Biomédica - Engenharia Médica
Pesquisador responsável:Liliane Ventura Schiabel
Beneficiário:Marcio Makiyama Mello
Instituição-sede: Escola de Engenharia de São Carlos (EESC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil

Resumo

A norma brasileira NBR15111/2004 (Óculos de proteção solar, filtros de proteção solar para uso geral e filtros para observação direta do sol), vigente atualmente especifica que na região de 280 - 380 nm o filtro para óculos solares deve barrar determinada porcentagem desta irradiação, para categorias entre 0 e 4 de lentes solares. As categorias referem-se ao grau de escurecimento das lentes e são calculadas em função da transmissão da luz visível (380 - 780 nm). Em 2010, com a atualização da norma citada, em que a Profa. Liliane é parte do comitê CB49 da ABNT e do comitê para a revisão e redação da norma, notou-se que alguns parâmetros devem ser melhores adequados para que estejam de acordo com o tipo de radiação solar (índices UV) que atinge o Brasil, País de dimensões continentais. A NBR15111 é baseada na norma Européia EN1836/2005, e alguns itens, mais especificadamente relacionados à proteção ultravioleta (UV), estão sendo estudados no Laboratório de Instrumentação Oftálmica (LIO), para que a população seja devidamente protegida, com o tipo de radiação que nos atinge.Entre estes itens, o intervalo de freqüência da luz UV em que a saúde ocular no Brasil deve ser protegida em função dos índices UV é tema abordado por um projeto apoiado pela FAPESP, onde a Profa. Liliane é coordenadora. Neste contexto, observou-se que não há no País um sistema para óculos de sol, em que o próprio usuário possa posicionar seus óculos, sem ajuda de terceiros, e ser informado das proteções UV, semafórica e categoria das lentes que seus óculos possuem. Recentemente, foi desenvolvido pelo LIO um protótipo piloto de autoatendimento ao públicoque mede a transmissão UVA bem como a categoria a que eles pertencem. O aluno Marcio participou do desenvolvimento e foi responsável por parte do sistema relativo às medidas de categoria das lentes (iniciação científica - FAPESP proc. num: 2009/14775-9). Porém, este primeiro protótipo possui duas deficiências fundamentais: 1. A região do espectro medida para determinação da categoria não é totalmente abrangida, e ainda não foi implementado a sobreposição entre as categorias como previsto na norma; 2. O intervalo de proteção UV anterior é de 315 - 380 nm, quando deveria ser de 280 - 380 nm, de acordo com a função de ponderação da NBR15111, curva que corresponde à resposta do olho humano. Detalhadamente, o aparelho deve medir a transmissão UV, entre 280 - 400 nm (atual mede até 380 nm), com precisão estabelecida na norma; a categoria das lentes testadas; a transmissão semafórica (verificação das propriedades para uso ao dirigir); e a transmitância luminosa do filtro solar, itens que o sistema atual não realiza, ou realiza de maneira incompleta. O que se propõe é o desenvolvimento de um sistema com módulos para teste UVA e UVB, Visível e Semafórico, para uso público no campus da USP de São Carlos, de acordo com a NBR15111, revista pelo comitê neste ano de 2012 e que aguarda aprovação da ABNT, e que resolva os problemas do projeto anterior da região de proteção UV , que deve ser ampliada para 280nm - 400 nm e também o problema de medida de limiar de categoria. Isto implica em alterações na eletrônica do sistema, onde os sensores devem responder para nova faixa de comprimentos de onda, e no software. Todos os testes realizados de transmissão luminosa serão comparados com o espectro medido da lente no espectrofotômetro CARY-5000, no LIO. O sistema proporciona a melhoria dos estudos em relação aos óculos solares, de forma a contribuir mais efetivamente com a população brasileira, com um totem de autoatendimento, que proporcione ao leigo medir seus óculos de sol, com interface inteligente para que qualquer pessoa não treinada possa realizar estas medidas, e ter meios de entender o resultado apresentado. O sistema poderá medir os óculos antes e depois de serem submetidos a um teste de stress por irradiação, que está sendo implementado também no LIO. O presente projeto tem o apoio financeiro da FAPESP-proc. 2011/06079-2

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
MELLO, Marcio Makiyama. Sistema de análise de transmitâncias em lentes solares. 2014. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Escola de Engenharia de São Carlos São Carlos.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.