Busca avançada
Ano de início
Entree

Revisão de Bothrops bilineata (serpentes, Viperidae) com base em caracteres morfológicos e moleculares

Processo: 12/21213-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2013
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Morfologia dos Grupos Recentes
Pesquisador responsável:Miguel Trefaut Urbano Rodrigues
Beneficiário:Francisco Humberto Dal Vechio Filho
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:11/50146-6 - Filogeografia comparada, filogenia, modelagem paleoclimática e taxonomia de répteis e anfíbios neotropicais, AP.BTA.TEM
Assunto(s):Filogenia   Bothrops   Biogeografia   Herpetologia

Resumo

A sistemática e taxonomia das serpentes neotropicais do gênero Bothrops tem estado ativa nas últimas décadas, tanto devido a descrições de novas espécies, revisão de grupos de espécies, estudos de filogeografia e biogeografia histórica, como a trabalhos filogenéticos procurando testar o monofiletismo do gênero. O grupo taeniata, reúne seis espécies e tem sido reconhecido como monofilético na maioria destes trabalhos. Bothrops bilineata, uma das espécies do grupo, é politípica, tem ampla distribuição e envolve atualmente duas subespécies com distribuição disjunta - B. b. smaragdina e B. b. bilineata. A primeira ocorre na porção oeste da Amazônia e B. b. bilineata na porção leste, distribuindo-se esta última ainda pela Mata Atlântica brasileira. O contato Amazônia-Mata Atlântica entre estas formas tem sido geralmente explicado no contexto da teoria de refúgios que permitiu contato pretérito entre estes dois grandes blocos florestais em diferentes épocas (Mioceno e/ou Pleistoceno) e espaços geográficos (nordeste ou sudeste da Mata Atlântica). Contudo, nem a validade das atuais subespécies, nem o tempo de divergência entre as populações de B. bilineata tem sido testados para verificar esta hipótese. O objetivo deste projeto é verificar a validade das subespécies de B. bilineata, com base em caracteres morfológicos e moleculares, mapear a área de ocorrência das linhagens encontradas no decorrer do projeto, analisar a variação morfológica e molecular das populações de B. bilineata presentes na Amazônia e Mata Atlântica, e estimar quando e por onde ocorreu a conexão entre esses dois biomas.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
FILHO, Francisco Humberto Dal Vechio. Revisão sistemática de Bothrops bilineatus (Serpentes: Viperidae) com base em caracteres moleculares e morfológicos. 2015. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Biociências São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.