Busca avançada
Ano de início
Entree

Antidepressivo modula o comportamento e a expressão gênica das cadeias de miosina, SERCA2 e fosfolamban em ratos com insuficiência aórtica?

Processo: 12/24670-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2013
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Juliana Irani Fratucci de Gobbi
Beneficiário:Lina Abu Alhuda
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Expressão gênica   Serotonina   Sacarose   Ocitocina   Insuficiência da valva aórtica   Antidepressivos   Modelos animais

Resumo

A insuficiência aórtica (IAo), uma situação de sobrecarga de volume, é caracterizada pelo refluxo diastólico do sangue da aorta refluindo para o ventrículo esquerdo devido ao mal fechamento das cúspides aórticas. A principal causa da IAo em países em desenvolvimento é a febre reumática, incluindo o Brasil. Existe uma forte associação entre doenças cardiovasculares e depressão. Entre os antidepressivos mais prescritos em todo o mundo encontram-se os inibidores seletivos da recaptação da serotonina (ISRS). Estudos prévios do nosso laboratório mostraram que a utilização de um ISRS, paroxetina, determinou melhora da função cardíaca em ratos com IAo subcrônica, bem como redução da ingestão diária de sódio hipertônico (NaCl 0,3M). Doenças cardiovasculares podem determinar mudanças comportamentais como maior ansiedade, e ainda não se sabe se a IAo determinaria estado ansiogênico ou anedônia, incapacidade de obter prazer através de experiências físicas ou sensoriais. Um possível alvo para a ação dos ISRS pode ser a mudança na expressão de isoformas de enzimas que colaboram na função de contração do músculo cardíaco, como a cadeia pesada da miosina (MHC), a Ca++/ATPase do retículo sarcoplasmático (SERCA2), bem como sua proteína reguladora a fosfolamban (PLB). Portanto, os objetivos do presente projeto serão estudar em ratos com IAo subcrônica e que receberão o tratamento por 4 semanas com um ISRS (paroxetina): a) parâmetros comportamentais de ansiedade através do teste em labirinto em cruz elevado, b) se existe estado de anedônia, e c) a expressão gênica de a- e b-MHC, SERCA2 e PLB no tecido cardíaco.