Busca avançada
Ano de início
Entree

Septina 4 : seus complexos e interações

Processo: 12/22717-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2013
Vigência (Término): 31 de maio de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biofísica - Biofísica Molecular
Pesquisador responsável:Richard Charles Garratt
Beneficiário:Nayara Cavalcante Silva
Instituição-sede: Instituto de Física de São Carlos (IFSC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Septinas   Microscopia eletrônica   Cristalografia

Resumo

Septinas são proteínas que se ligam a nucleotídeos de guanina e tendem a se organizar em filamentos, característica que é muito semelhante à de elementos do citoesqueleto. Sua função primordial parece estar associada com a compartimentalização de regiões dentro da célula, contribuindo em sua polarização. Em certos tipos celulares este fenômeno é vital para a realização da sua função. Exemplos claros de tal comportamento podem ser vistos em espermatozóides, células ciliadas, neurônios e em outros tipos celulares. As septinas se organizam em filamentos que podem adquirir diferentes formatos, sendo proteínas bem conservadas em metazoários e cuja composição dos filamentos varia conforme o organismo. Os seres humanos expressam 13 septinas que podem ser divididas em quatro grupos, conforme a sua identidade de seqüência, tendo sido proposto que os filamentos seriam formados por uma septina de cada grupo. Até o momento, pouco é conhecido sobre o que regula a composição e arranjo de tais filamentos. Outras questões importantes que necessitam ser respondidas incluem qual a função da hidrólise do GTP, como a mudança conformacional gerada pela hidrólise do GTP facilitaria a interação entre as septinas e como isso afetaria a organização dos filamentos. Algumas poucas proteínas que interagem com septinas foram identificadas até o momento. Neste projeto, focaremos na investigação das interações de septinas, em especial da Septina 4, com outras proteínas, e como essas interações influenciariam a formação de filamentos com outras septinas. Uma destas interaçõs já descritas é a Alfa sinucleína, queremos identifar qual a região de interação entre as duas. Um outro ponto de grande interesse para esse projeto será os complexos de septinas nos quais a Septina 4 faz parte. Nós temos como objetivo a elucidação estrutural de tais complexos, seja por difração de raios-X ou por microscopia eletrônica.