Busca avançada
Ano de início
Entree

Características perceptivo-auditivas e acústicas vocais pré e pós programa vocal

Processo: 13/25869-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2014
Vigência (Término): 30 de setembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fonoaudiologia
Pesquisador responsável:Nair Katia Nemr
Beneficiário:Augusto Cesar da Silva Geraldo
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:12/11915-7 - Eficácia de programa de treinamento vocal por meio de análise perceptivo-auditiva, de videolaringoscopia de alta velocidade e eletroglotografia, AP.R
Assunto(s):Disfonia   Treinamento da voz

Resumo

Dentre os profissionais interessados na investigação da voz humana, o Fonoaudiólogo se destaca como especialmente habilitado para identificar as diferentes características vocais sejam em indivíduos com ou sem alterações. Avaliação perceptivo-auditiva e análise acústica fazem parte da rotina de avaliação vocal. Apesar de serem duas ferramentas relevantes para o aprendizado da voz humana, ambas estão inseridas nos programas de Graduação em Fonoaudiologia com maior ênfase teórica do que prática. Estudos sobre a eficácia de treinamento vocal perceptivo-auditivo e acústico para graduandos têm sido desenvolvidos. A experiência prática, vinculada aos demais instrumentos propostos no Projeto Regular apresentado, possibilitarão ao aluno bolsista uma complementação do aprendizado e maior desenvolvimento do raciocínio clínico, especialmente em relação a esse grupo de pacientes, muito frequente na clínica fonoaudiológica em voz. A eletroglotografia tem sido incorporada a essa avaliação fornecendo dados relevantes para a área da voz. Estudos em parceria com a Otorrinolaringologia possibilitam melhor entendimento vocal e laríngeo permitindo diagnósticos mais precisos e condutas mais eficazes. Nesse contexto, destaca-se a imagem laríngea com recursos recentes como a laringoscopia de alta velocidade. A referida proposta de bolsa vincula-se ao Projeto de Auxílio Pesquisa FAPESP ora solicitado. O Projeto proposto para o treinamento técnico tem como objetivo analisar os achados perceptivo-auditivos e acústicos antes e após a execução de um programa terapêutico com um grupo de indivíduos com hiperfuncionamento vocal. Descrição do plano: O(a) Bolsista deverá desenvolver suas atividades junto ao Laboratório de Investigação Fonoaudiológica em Voz do Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo com um grupo de indivíduos que cometem abusos vocais com ou sem presença de nódulos vocais, denominados na proposta como indivíduos com hiperfuncionamento vocal. O (a) bolsista terá oportunidade de participar dos seguintes procedimentos: agendamento das avaliações dos participantes da pesquisa; observação da avaliação realizada pelo pesquisador responsável/pesquisadores associados no momento pré-intervenção (captação das amostras de fala, avaliação perceptivo-auditiva, análise acústica, avaliação eletroglotográfica, nlaringoscopia de alta velocidade); elaboração da planilha com os dados coletados nas avaliações pré-intervenção; elaboração da planilha com os dados coletados nas avaliações pós-intervenção (captação das amostras de fala, avaliação perceptivo-auditiva, análise acústica, avaliação eletroglotográfica, laringoscopia de alta velocidade); acompanhar a análise dos dados e a finalização do trabalho. Contudo, a proposta de treinamento técnico prevê a realização de gravação das amostras de fala e análise perceptivo-auditiva e acústica em conjunto com o pesquisador responsável e/ou pesquisadores associados para caracterizar os achados comparando-os nos momentos pré e pós intervenção. Por meio desta atividade, o (a) bolsista acumulará experiência quanto ao uso clínico do laboratório de voz e dos protocolos de avaliação perceptivo-auditiva e acústica para avaliação vocal. A previsão de duração total da Bolsa concedida é de 18 meses, sendo que 12 meses iniciais já foram cumpridos pela primeira bolsista que precisou ser substituída em função do término da graduação. Para esta substituição, há previsão de continuidade nos próximos 6 meses compreendendo o período de janeiro de 2014 a junho de 2014, mantendo-se vinculada ao Auxílio Pesquisa em execução (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.