Busca avançada
Ano de início
Entree

O Aruê, Boi Estrela e São Gonçalo: uma etnografia sobre redes de sociabilidade em performance

Processo: 14/05565-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2014
Vigência (Término): 30 de abril de 2019
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Antropologia
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:John Cowart Dawsey
Beneficiário:Renata Freitas Machado
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):16/16123-2 - O Aruê, Boi Estrela e São Gonçalo: uma etnografia sobre redes de sociabilidade em performance, BE.EP.DR
Assunto(s):Festas populares   Cultura popular   Etnografia

Resumo

Os rituais como primeiro passo para a compreensão das sociedades humanas e a complementação que se dá entre o mundo festivo e o mundo cotidiano, a natureza pública e coletiva das festas, o diálogo entre os domínios lúdicos e estéticos, além da materialidade do que poderia ser considerado um patrimônio intangível são categorias essenciais a serem consideradas como pontos de partida na abordagem antropológica sobre festas (CAVALCANTI, 2013). O presente estudo, de caráter etnográfico, abordará três festejos populares, sendo estes: O Boi Estrela, O Aruê e o São Gonçalo que ocorrem nas comunidades de Mutá, Cações, Matarandiba e Baiacu, pertencentes à Baía de Todos os Santos. A formação concomitante destas localidades e seus aspectos históricos análogos trouxeram como resultado uma aproximação tanto do ponto de vista social quanto do ponto de vista cultural. O objetivo é compreender como redes de sociabilidade e sentido são encenadas, recriadas e revitalizadas em performance, nos festejos populares do Aruê, Boi Estrela e São Gonçalo que ocorrem em quatro comunidades circunvizinhas (Matarandiba, Mutá, Cações e Baiacu). O estudo será baseado na pesquisa de campo e na observação participante, levando enquanto referência a etnografia como diálogo (simétrico) entre o conhecimento nativo e o conhecimento do pesquisador. O quadro teórico que compõe o projeto leva em consideração os conceitos de memória social, patrimônio cultural, os estudos antropológicos sobre festa e o campo da antropologia da performance. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
MACHADO, Renata Freitas. As folhas vermelhas do mangue: uma etnografia sobre os mortos, a morte e a maré em Matarandiba (BA). 2019. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.