Busca avançada
Ano de início
Entree

Detecção do clone JP2 de Aggregatibacter actinomycetemcomitans em sujeitos portadores de periodontite agressiva e sua correlação com parâmetros clínicos

Processo: 14/16315-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2015
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Periodontia
Pesquisador responsável:Luciana Saraiva
Beneficiário:Marcela Giudicissi
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FO). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Microbiologia   Periodontite agressiva   Aggregatibacter actinomycetemcomitans

Resumo

RESUMO: Aggregatibacter actinomycetemcomitans (Aa) é um importante patógeno periodontal que pode estar associado à Periodontite Agressiva (PA) caracterizada por rápida perda óssea e perda de inserção. Esse micro-organismo possui uma variedade de fatores de virulência que pode suprimir ou inativar o sistema imune do hospedeiro. Possui vários sorotipos, entre eles o sorotipo b que está frequentemente associado à PA. O clone JP2 de Aa (sorotipo b) é altamente virulento e sua patogenicidade é caracterizada pelo aumento da produção de leucotoxina por causa da deleção 530-bp (”530) na região promotora do gene lkt/ltx. O objetivo deste estudo será detectar a presença do clone JP2 de Aa em portadores de PA, correlacionando esses dados com os achados clínicos desses pacientes. Serão selecionados quarenta pacientes portadores de periodontite agressiva e dez pacientes periodontalmente saudáveis utilizados como controle. Amostras de biofilme subgengival serão coletadas de dois sítios por individuo, após as coletas os pacientes receberão tratamento periodontal e depois entrarão num programa de manutenção e controle periodontal a cada três meses. Cepas de Aa JP2 e não-JP2 serão cultivadas em meios específicos e serão construídos plasmídeos recombinantes albergando uma única cópia do gene 16SrRNA de cada uma das cepas. Para obtenção da curva padrão (utilizada como parâmetro na quantificação das amostras) serão utilizadas diluições sucessivas dos plasmídeos apresentando uma cópia clonada de cada gene analisado (16SrRNA de Aa). Após a extração do DNA das amostras clínicas, o número de cópias dos clones JP2 e não-JP2 será quantificado através da qPCR utilizando sondas e primers específicos. A hipótese deste estudo é que portadores do clone JP2 de Aa apresentam uma maior severidade da doença periodontal quando comparados a portadores de outros clones não-JP2.