Busca avançada
Ano de início
Entree

Estabilidade de órbitas próximas ao sistema triplo Haumea

Processo: 15/13341-6
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2015
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2016
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Aeroespacial
Pesquisador responsável:Antônio Fernando Bertachini de Almeida Prado
Beneficiário:Diogo Merguizo Sanchez
Supervisor no Exterior: Kathleen C. Howell
Instituição-sede: Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (Brasil). São José dos Campos , SP, Brasil
Local de pesquisa : Purdue University, Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:14/22295-5 - Estudo da dinâmica de satélites artificiais em torno de sistemas triplos, BP.PD
Assunto(s):Exploração espacial   Dinâmica orbital   Manobra orbital

Resumo

Missões espaciais a pequenos corpos do Sistema Solar fornecem informações importantes a respeito do sistema estudado e sobre a formação do próprio Sistema Solar. Propomos o estudo de missões ao Planeta Anão Haumea (um objeto bastante estudado no momento, o que faz dele um alvo interessante para estudos atuais) considerando-o como um sistema binário, quando levamos em conta somente Haumea e Namaka, e como um sistema triplo, quando consideramos o sistema completo, com Haumea, Namaka e Hi'iaka (Namaka e Hi'iaka são as luas de Haumea). A comparação da estabilidade de órbitas periódicas nestes dois modelos é muito interessante do ponto de vista dinâmico e pode revelar comportamentos inesperados de uma espaçonave em torno deste sistema. Também estudaremos órbitas quase periódicas que podem eventualmente se fechar em algum ponto através da aplicação de impulso, fazendo com que a órbita da espaçonave se torne periódica se a aplicação dos impulsos for regular. A representação de órbitas periódicas e quase periódicas usando mapas de Poincaré para dimensões superiores será feita. Ademais, queremos medir, através de integrações de longo período, a sobrevivência de pequenas espaçonaves ao redor deste sistema. Este tipo de estudo pode ser facilmente adaptado para asteroides duplos ou triplos, como o asteroide alvo da missão ASTER, atualmente em estudo no Brasil.