Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito do exercício físico no metabolismo de fluoretos em camundongos com diferentes susceptibilidades à fluorose: análise proteômica

Processo: 15/12109-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2015
Vigência (Término): 31 de maio de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Odontologia Social e Preventiva
Pesquisador responsável:Marília Afonso Rabelo Buzalaf
Beneficiário:Mileni da Silva Fernandes
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB). Universidade de São Paulo (USP). Bauru , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):18/06168-4 - Alterações no perfil metabólico do rim em resposta ao exercício após exposição ao flúor em camundongos com diferentes suscetibilidades à fluorose dentária, BE.EP.PD
Assunto(s):Bioquímica   Proteômica   Fluorose dentária   Atividade física

Resumo

O fluoreto (F) é um elemento extremamente relevante em termos de Saúde Pública devido às suas propriedades de prevenir ou reverter lesões cariosas em indivíduos de todas as idades. Pode oferecer riscos ao organismo se aplicado ou consumido de maneira indiscriminada ou inadequada, como a fluorose dentária. Após sua absorção, o F é distribuído através da corrente sanguínea e armazenado nos tecidos calcificados e tecidos moles, sendo sua excreção essencialmente por via renal. Muitos mecanismos moleculares envolvendo o metabolismo do F ainda são desconhecidos. Na última década vários estudos têm procurado desvendar a influência de fatores genéticos na susceptibilidade genética à fluorose dentária, utilizando linhagens de camundongos que possuem respostas bem distintas aos efeitos do F. Assim, há evidências de que a resistência e a susceptibilidade à fluorose parecem ser influenciadas por fatores genéticos, assim como pela interação com o meio, como por exemplo atividade física e dieta. Na presente proposta, utilizando análise proteômica, identificaremos proteínas diferencialmente expressas em rins e músculo de camundongos susceptíveis ou resistentes à fluorose, em resposta a mudanças na exposição F, com e sem exercício físico. Para tanto, serão obtidos 60 animais das linhagens A/J (n=30) e 129P3/J (n=30), susceptíveis ou resistentes à fluorose, respectivamente. Serão distribuídos em seis grupos de acordo com cada tratamento, recebendo água de beber contendo 0 ou 50 ppm de F, por 8 semanas. Para os grupos com atividade física, serão realizadas corridas diárias em esteira por 60 minutos. Posteriormente à realização do tratamento, os animais serão submetidos à eutanásia, para coleta das amostras e realização das análises.