Busca avançada
Ano de início
Entree

Curvas de referência dos parâmetros ósseos obtidos por tomografia computadorizada quantitativa periférica de alta resolução (HR-pQCT) em homens saudáveis

Processo: 15/14698-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2015
Vigência (Término): 01 de maio de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Rosa Maria Rodrigues Pereira
Beneficiário:Jackeline Couto Alvarenga Amaral
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):17/00693-7 - Avaliação da resistência óssea por análise de elemento finito e escore de osso trabecular (TBS) em indivíduos saudáveis com mais de 60 anos de idade, BE.EP.DR
Assunto(s):Distribuição por idade   Densidade óssea   Valores de referência   Reumatologia

Resumo

A osteoporose (OP) e sua principal consequência, a fratura, é um problema mundial de saúde pública. As fraturas por fragilidade óssea ocorrem tipicamente no quadril, coluna e punho, embora possam atingir qualquer osso do esqueleto. A medição da densidade mineral óssea (DMO) desses locais por dupla absorção de raios-X (DXA) é atualmente o método mais aceitável para o diagnóstico. Porém, estudos relatam que uma alta porcentagem de indivíduos fratura com valores de DMO não osteoporóticas. Além disso, DXA não faz distinção entre os compartimentos cortical e trabecular. A tomografia computadorizada periférica quantitativa de alta resolução (HR-pQCT) é uma nova ferramenta não invasiva, que permite a avaliação in vivo da densidade mineral óssea volumétrica, e da estrutura óssea trabecular e cortical, além dos parâmetros de biomecânica analisados por elemento finito (FE), podendo predizer o risco de fraturas. O objetivo deste estudo transversal é estabelecer valores de referência relacionados com a idade, ajustados por peso e altura em homens saudáveis, obtidos pela HR-pQCT quanto à densidade mineral óssea volumétrica, microarquitetura, porosidade cortical e resistência óssea estimada por análise de FE no rádio distal e na tíbia; e correlacionar o parâmetro rigidez obtido por FE, com as demais variáveis de densidade e estrutura obtidos por HR-pQCT. Como não há dados normativos para as medições desse novo equipamento de captação de dados densitométricos e estruturais do osso, de alta qualidade in vivo, foi feito um trabalho recente (dissertação de mestrado) para estabelecer os valores de referência utilizando apenas mulheres saudáveis, e agora há interesse em complementar os dados, medindo os parâmetros em indivíduos do sexo masculino, completando assim um banco de dados de referência que serão úteis em futuros estudos e na prática clínica. Serão avaliados o rádio distal e a tíbia de indivíduos saudáveis do sexo masculino por HR-pQCT, incluindo mais de 50 indivíduos para cada década de 20 a 89 anos de idade. Modelos de regressão linear serão desenvolvidos para prever os valores das curvas de referência de densidade volumétrica (trabecular e cortical), estrutura óssea, porosidade cortical e parâmetros de elementos finitos, medidos de acordo com a idade, ajustados por peso e altura. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
SALES, LUCAS PEIXOTO; PINTO, ANA JESSICA; RODRIGUES, SAMARA FERRARI; ALVARENGA, JACKELINE COUTO; GONCALVES, NATALIA; SAMPAIO-BARROS, MARILIA M.; BENATTI, FABIANA BRAGA; GUALANO, BRUNO; RODRIGUES PEREIRA, ROSA MARIA. Creatine Supplementation (3 g/d) and Bone Health in Older Women: A 2-Year, Randomized, Placebo-Controlled Trial. JOURNALS OF GERONTOLOGY SERIES A-BIOLOGICAL SCIENCES AND MEDICAL SCIENCES, v. 75, n. 5, p. 931-938, MAY 2020. Citações Web of Science: 2.
ALVARENGA, JACKELINE C.; BOYD, STEVEN K.; PEREIRA, ROSA M. R. The relationship between estimated bone strength by finite element analysis at the peripheral skeleton to areal BMD and trabecular bone score at lumbar spine. BONE, v. 117, p. 47-53, DEC 2018. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.