Busca avançada
Ano de início
Entree

Rigidez auto reportada e rigidez dinâmica do joelho durante a subida de escadas de mulheres com dor femoropatelar e sua relação com a sobrecarga articular

Processo: 16/03262-4
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Vigência (Início): 22 de agosto de 2016
Vigência (Término): 21 de dezembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Fábio Mícolis de Azevedo
Beneficiário:Ronaldo Valdir Briani
Supervisor no Exterior: Christopher Powers
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Southern California (USC), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:15/00406-2 - Influência da dor em parâmetros cinéticos em indivíduos com síndrome da dor femoropatelar no gesto de subida de escada, BP.MS

Resumo

A dor femoropatelar (PFP) é um distúrbio músculo-esquelético comum e caro, que abrange homens, mulheres e adolescentes. Embora o principal sintoma seja a dor ao redor e atrás da patela, os pacientes também descrevem crepitação femoropatelar, rigidez no joelho e má qualidade de vida. Indivíduos com PFP queixam-se frequentemente de rigidez no joelho após períodos prolongados em flexão do joelho e uma possível relação entre a dor, rigidez articular do joelho e a progressão de doenças reumáticas pode existir. No entanto, não se sabe se o joelho é fisiologicamente mais rígida em indivíduos com PFP. Portanto, os objetivos deste estudo são investigar diferenças durante a subida de escadas na rigidez do joelho em mulheres com e sem PFP, e investigar se a rigidez do joelho está relacionada com as medidas reconhecidas da rigidez do joelho auto-reportados em mulheres com PFP. Os objetivos secundários são investigar em mulheres com PFP em que medida a excursão de flexão do joelho e momento extensor do joelho contribuem para a rigidez articular do joelho durante a subida de escadas e examinar a relação entre a rigidez (auto-relatada e rigidez dinâmica) com marcadores de sobrecarga articular (taxa de de carga e momento de abdução do joelho). Vinte e uma mulheres com PFP e vinte e um controles assintomáticos serão recrutados para participar do estudo. A rigidez auto-relatada do joelho será obtida com WOMAC e escala visual analógica. A rigidez dinâmica do joelho será calculada durante a subida de escadas como a mudança no momento de flexão-extensão do joelho dividida pela alteração no ângulo de flexão do joelho. Além disso, o pico do momento de adução do joelho e a taxa de sobrecarga da força de reação do solo serão obtidos e utilizados como marcadores de sobrecarga articular. O teste t independente será utilizado para comparar variáveis dependentes entre os grupos. O modelo de regressão forward-stepwise e coeficientes de correlação de Pearson serão usados para avaliar as relações entre as variáveis.