Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo longitudinal dos problemas de comportamento em adolescentes infratoras do sexo feminino e a qualidade da relação entre país e adolescentes

Processo: 16/10027-1
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 24 de agosto de 2016
Vigência (Término): 23 de janeiro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Tratamento e Prevenção Psicológica
Pesquisador responsável:Marina Rezende Bazon
Beneficiário:Fellipe Soares Salgado
Supervisor no Exterior: Nadine Lanctot
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Local de pesquisa : Université de Sherbrooke (UdeS), Canadá  
Vinculado à bolsa:14/12513-5 - Comportamentos divergentes e infracionais autorrevelados em adolescentes do sexo feminino e variáveis psicológicas e sociais associadas, BP.DR
Assunto(s):Delinquência juvenil

Resumo

Pesquisas evidenciam um aumento do encarceramento de mulheres, devido à prática de crimes, bem como o da participação das adolescentes em atos infracionais. Essa tendência de aumento revela que modificações nas relações sociais relativas às pessoas do sexo feminino estão em curso; assim, se tornará cada vez mais importante envidar esforços para melhor compreender a implicação das adolescentes em atividades divergentes, seja para que se possa pensar em programas de prevenção e de acompanhamento específicos, adequados às suas necessidades, uma vez que a maior parte do conhecimento científico produzido no campo da "delinquência juvenil" é relativo ao sexo masculino e a maior parte dos programas de intervenção também são pensados para este segmento da população. Nesse sentido, a presente pesquisa tem por objetivos caracterizar os comportamentos divergentes e delituosos autorrevelados em uma amostra de cerca de 360 adolescentes do sexo feminino, com idades entre 12 e 18 anos incompletos, matriculadas no ensino público e privado de duas cidades de porte médio no Brasil, uma no interior do estado de São Paulo e outra no interior de Minas Gerais, e identificar os fatores de risco psicossociais associados. Estão sendo utilizados os seguintes instrumentos: Questionário de comportamentos juvenis, que apreende, por meio do método da autorrevelação, tanto comportamentos divergentes (uso de álcool e outras drogas, fugas do lar, etc.), quanto delitivos, relacionados diretamente a atos infracionais; Questionário sobre traumas na infância - QUESE, que possibilita observar a frequência e a ocorrência mista dos abusos e negligências; Inventário de Personalidade de Jesness - IPJ, que avalia traços de personalidade e indicadores de psicopatologia, além de discriminar um maior ou um menor grau de engajamento infracional. A coleta está ocorrendo nas escolas mediante parecer favorável dos diretores, consentimento dos pais/responsáveis e assentimento das próprias alunas. Os dados serão descritos e em seguida tratados por meio de análise de cluster, análise dos componentes principais, análises discriminantes e análise correlacional entre os clusters e as variáveis de personalidade e sociais, com intuito de caracterizar a amostra em subgrupos específicos. (AU)