Busca avançada
Ano de início
Entree

Sorção de corante têxtil empregando compósito bionanoferromagnético com posterior degradação oxidativa dos resíduos sólidos gerados

Processo: 16/20551-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2016
Vigência (Término): 30 de novembro de 2017
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Sanitária - Tratamentos de Águas de Abastecimento e Residuárias
Pesquisador responsável:Geórgia Christina Labuto Araújo
Beneficiário:Augusto Ribeiro Imamura
Instituição-sede: Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas (ICAQF). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Diadema. Diadema , SP, Brasil
Assunto(s):Sorção   Nanocompósitos   Processos oxidativos avançados   Efluentes industriais   Tratamento de águas residuárias   Indústria têxtil

Resumo

A indústria têxtil está entre os maiores consumidores e poluidores mundiais da água e atualmente emprega tanques de lodo ativado para remediação de efluentes, os quais necessitam de controle sobre os micro-organismos, dispensam um tempo considerável no tratamento, podem gerar subprodutos tão ou mais tóxicos que o próprio resíduo tratado e ainda necessitam da dispensa do lodo em aterros sanitários. O uso de biossorventes e nanopartículas ferromagnéticas, bem como de compósitos formados pela combinação de ambos tem uso atual reportado como uma alternativa de instantânea e elevada capacidade de remoção de contaminante, dentre estes corantes têxteis. Apesar da vantagem da sorção instantânea, o que permite a rápida disponibilidade da água tratada para reuso, a aplicação de tais materiais em situações reais continua limitada pela necessidade de destinação do resíduo sólido contaminado. Adicionalmente, processos oxidativos avançados (POA) também têm sido reportados como alternativa para o tratamento de efluentes têxteis. Entretanto, em larga escala, o custo e tempo necessário para a disponibilização da água tratada para reuso e os grandes volumes a serem tratados são limitantes destes processos. A associação da sorção e POA, pode ser um caminho interessante para o tratamento de efluentes têxteis, garantido a celeridade de disponibilização de água para reuso com posterior tratamento do resíduo sólido contaminado em sistemas de escala menor. O presente projeto visa empregar compósito bionanoferromagnético formado a partir de biomassa de levedura proveniente da indústria sucroalcooleira e magnetita para sorção de corante têxtil reativo, e fazer uso do ferro presente na magnetita como reagente Fenton para o tratamento do resíduo sólido gerado, economizando assim o aporte de substâncias químicas para o tratamento. (AU)