Busca avançada
Ano de início
Entree

Controle da locomoção adaptativa em adultos jovens durante as tarefas de evitar pisar uma área indesejada e de pisar em um alvo

Processo: 16/02202-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2016
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Renato de Moraes
Beneficiário:Andréia Abud da Silva Costa
Instituição-sede: Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto (EEFERP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Controle motor   Locomoção   Adultos   Jovens

Resumo

No dia-a-dia respondemos a mudanças ambientais e da própria tarefa, durante a locomoção, por meio de ajustes no comprimento e largura dos passos. Para essa finalidade mecanismos de controle antecipatório, preditivo e reativo são utilizados e constituem a locomoção adaptativa. O controle da locomoção adaptativa permite que a certa distância se iniciem os ajustes necessários nas tarefas de desviar de um obstáculo, pisar em um alvo ou evitar pisar em uma área indesejável. A escolha desses ajustes considera vários fatores, como o deslocamento do pé, a estabilidade, a manutenção da progressão da locomoção e as informações advindas dos diversos sistemas sensoriais. Mudanças imprevisíveis no ambiente ou na tarefa exigem correções em diferentes variáveis, inclusive na trajetória do pé. Nesse contexto, as tarefas de pisar sobre um alvo móvel e de evitar pisar em uma área indesejada que também tem sua localização alterada, se mostram diferentes em relação à latência e, consequentemente, nas vias envolvidas. A tarefa de pisar sobre um alvo apresenta latência menor, o que sugere a participação de vias subcorticais, enquanto que a tarefa de evitar pisar em uma área indesejada mostra maiores valores de latência, e assim, o envolvimento de vias corticais. Dessa forma, a inserção de uma tarefa cognitiva secundária concomitante pode influenciar mais a tarefa de evitar pisar sobre uma área indesejada do que a tarefa de pisar sobre um alvo. Assim, o objetivo desse estudo é de analisar as respostas motoras e as latências para programar os ajustes necessários nas tarefas de pisar sobre um alvo e de evitar pisar em uma área indesejada, com e sem uma tarefa secundária cognitiva concomitante. Espera-se que a adição de uma tarefa cognitiva afete mais a latência da tarefa locomotora de evitar pisar em uma região indesejada do que a tarefa de pisar sobre um alvo, visto que a primeira tarefa parece depender mais de vias corticais. A amostra será composta por 20 indivíduos jovens, saudáveis, de ambos os sexos. Os participantes caminharão em uma passarela de 7 m de comprimento, com um retângulo de 30 cm de comprimento x 15 cm de largura projetado no chão para ser pisado ou evitado, de acordo com o bloco de tentativas. No passo imediatamente anterior, o participante pisará sobre uma plataforma de força que alterará, ou não, o local que o alvo/obstáculo está projetado. O retângulo poderá ser movido anteriormente, posteriormente, lateralmente ou medialmente, em ambos os blocos. No bloco em que a instrução for pisar no alvo (BP), o alvo deslocará do centro (local da aterrissagem normal do pé) para as extremidades. No bloco em que a instrução for evitar pisar no obstáculo (BE), o retângulo será deslocado das extremidades para o centro. Nos dois blocos haverá tentativas em que o retângulo não terá sua localização modificada, tidas como tentativas controle. Além disso, em metade das tentativas de cada condição de cada bloco, os participantes deverão realizar uma tarefa cognitiva secundária (teste de monitoramento de dígitos). Nesse teste, o participante deve contar quantas vezes um número, previamente estipulado, é falado durante a gravação de áudio que eles escutam enquanto realizam a tarefa motora na passarela. Dez marcadores retrorrefletivos passivos serão posicionados bilateralmente no 1º metatarso, 5º metatarso, no maléolo lateral, no calcâneo (faces lateral e medial). O deslocamento desses marcadores será registrado por câmeras do sistema de captura do movimento Vicon. Serão calculadas as variáveis taxa de sucesso, porcentagem de ajuste, latência e distância percorrida pelo pé. Os dados das duas primeiras variáveis serão analisados por meio de estatística não-paramétrica, enquanto que para as demais variáveis serão usadas análises de variância. O nível de significância adotado será de 0,05. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DA SILVA COSTA, ANDREIA ABUD; DOS SANTOS, LUCIANA OLIVEIRA; MORAES, RENATO. Effect of a cognitive task on online adjustments when avoiding stepping on an obstacle and stepping on a target during walking in young adults. Experimental Brain Research, v. 236, n. 8, p. 2387-2397, AUG 2018. Citações Web of Science: 2.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.